domingo, 5 de junho de 2016

Ironman Florianópolis 2016 - Relato da Prova

Bom, uma semana depois vamos ao relato. Demorei porque a volta à rotina não é muito simples, várias coisas para arrumar e organizar e quando a gente vê a semana terminou.

Vou tentar focar mais nas informações da prova até para que não fique um post muito grande e cansativo para leitura. Vamos lá.

Bike checkin

Consegui me livrar da bike com uma certa rapidez por conta das filas separadas do AWA (All World Athlete). Soube de gente que ficou uma hora na fila para tatuar o número no braço, algo que não acho admissível pensando que é um sábado pré prova para os atletas. Mas enfim, consegui "furar" legalmente a fila e fiz meu checkin bem rapidamente. Deixei a bike numa posição boa, pois meu número era o 900 então era o primeiro slot de um corredor (um lado todo livre).

Manhã da prova

Como de hábito, dormi bem na véspera da prova. Não costumo ficar ansioso nessa hora. Durmo direto e bem. Acordei por volta de 4:20hs um pouco antes do despertador, inclusive porque em geral meu horário normal de despertar em Curitiba é 4:40hs, portanto estou acostumado. Fiz o tradicional, necessidades fisiológicas, banho, indumentária, etc. Pessoal começou a concentrar já em casa enquanto tomei meu café da manhã. Separei a mochila e fomos para área de transição para colocar as coisas na bike e conferir as sacolas. Depois disso voltamos para casa para colocar roupa de borracha e partir para área da largada. A partir daí então vem uma ansiedade normal. Aquela vontade de largar logo.   

Natação

Infelizmente nesse meu terceiro Ironman o tempo não colaborou como nos outros dois. Em 2013 estava um dia lindo. Em 2015 teve um pouco de sol e boa parte nublado mas sem chuva. Já em 2016 a previsão era de chuva e realmente se confirmou. Choveu a noite toda e depois ao longo da prova por várias vezes, inclusive com chuva bem forte em alguns momentos. Esse foi o primeiro ano de largada em ondas (por categoria) no Ironman Florianópolis. Minha largada era a segunda amadora - 7:10hs - então não precisei esperar tanto tempo. Alinhei com a faixa no peito lá na frente e quando a sirene tocou saí desesperado para o mar. Sempre tive um pouco de problemas de navegação mas vinha melhorando nesse aspecto. Nesse ano minha navegação não foi das melhores de novo, pois o clima também jogou contra. MUITO fechado, com chuva, etc. Procurei seguir as boias intermediárias de navegação e acho que até a primeira boia de vértice vinha bem. Senti que depois do primeiro retorno eu não rendia ou navegava como antes mas procurei me manter focado em fazer uma boa natação, que eu esperava ser por volta de 1hr. Ao chegar na praia para o retorno, olhei no Garmin e veio uma primeira decepção: 37'. Já senti que minha previsão de uma hora de natação tinha ido para o espaço. Procurei esquecer isso naquele momento e fui para a segunda perna fazendo o melhor que podia. Ao chegar na areia olhei meu tempo e: 1h07'. Bem aquém do que eu tinha previsto e sabia que podia nadar. Tudo bem, prova longa não podemos ficar lamentando pequenas alternâncias no meio do caminho. Pensei comigo em fazer um bom ciclismo e uma boa corrida para recuperar esse tempo "perdido". Fiz uma transição boa para o ciclismo, mesmo essa sendo um pouco mais demorada, pois o caminho do mar até a tenda de troca é meio longo. 

Saindo da água. Um ponto decepcionado mas sempre fazendo força... 
Ciclismo

Ao sair da tenda veio ao menos uma cena cômica no dia. Como esse ano resolvi fazer a prova com uma sapatilha de ciclismo, tive que calçar a sapatilha na tenda mesmo e não na bike. A sapatilha de triathlon (fiz ano passado) é bastante fácil de calçar já na bike mas a minha Mavic de ciclismo é bem mais complexa, por outro lado ela é extremamente confortável e não fica presa ao pé só por velcro como a de triathlon, mantendo-a firme até o final do ciclismo, o que acaba compensando esses segundos a mais na transição. Por estar de sapatilha e com o piso "plástico" escorregadio que temos entre a tenda e as bikes acabou que não consegui nem ouvir o final da frase da staff "cuidado que está escorreg..." e lá fui eu de bunda para o chão. Sem nem dar tempo de pensar e recebendo o lindo apoio (junto de alguns sorrisos) de vários torcedores na T1, levantei e corri para bike. Comecei a pedalar já forte para me livrar do congestionamento que se forma na saída da transição. Estávamos já com chuva e procurei cuidar com os buracos encobertos com água na estrada para não furar pneu, o que ocorreu aos montes na prova, pois as condições da estrada não andam nada boas. Primeira volta do ciclismo como sempre é relativamente fácil em Floripa. Estamos empolgados, tudo é festa, etc. então procurei também não descuidar com o ritmo para não pagar o preço depois. Como não tenho medidor de potência tenho que ir pela sensação. Procurei fazer o ritmo conforme havia treinado e vi que estava indo tudo certo. Na primeira volta não peguei uma gota de vento sequer, estava gostoso de pedalar apesar da chuva. Ao passar em Jurerê após 90Km vem aquele apoio incrível da minha torcida e de todas as pessoas que ficam no bairro, mesmo com o clima horrível que estava. Comecei a segunda volta e a chuva havia parado. Por um lado era bom, pois a água na cara incomoda um pouco e sempre temos que ter mais cuidado, porém o vento veio mais forte e notei que a bandeira do Brasil que existe em um shopping center no caminho da bike estava eufórica (na primeira volta repousava junto ao poste). Ao voltar do túnel da via expressa sul o vento veio contra até Canasvieiras o que castigou bastante as pernas. Procurei me alimentar dentro do previsto, apesar de algumas alternâncias para um plano B, pois senti mais fome no início do ciclismo e tentei não forçar demais. A média caiu um pouco mas ficou praticamente dentro do que havia previsto com meu treinador. Chegando a hora de começar a parte mais difícil da prova, a maratona.  

Pedal feito praticamente dentro do previsto...  
Corrida

O que outras vezes não costumava ser bom essa vez foi. Fiz uma T2 muito rápida e logo saí para correr. Ao sair para correr encontrei o parceiro de Webtreino Andrey. Fizemos muitos treinos juntos e no ciclismo nos encontramos várias vezes o que foi muito legal. Começamos a correr e logo vi que o ritmo estava forte, pois na Av. Búzios é difícil se controlar com muita torcida especial. Logo baixei um pouco o ritmo, pois como estávamos não aguentaria nem metade da corrida. Consegui render dentro do esperado até os 18Km quando então senti um pouco de desconforto gástrico e não consegui mais tomar gel que eu tinha. Simplesmente não descia. Senti também um pouco de cansaço nas pernas e vi que as coisas não seriam das mais fáceis. Ainda consegui terminar a primeira volta (longa de 21Km) dentro do que havia previsto de ritmo. Contei no caminho com a ajuda do meu treinador Fábio Bronze e da minha parceira de Time do Bem (Dentro D'Água) Ju Ramos que conseguiram acompanhar algumas partes de bike dando uma força. O jeito foi reduzir um pouco o ritmo na segunda volta para me manter na prova. Por sorte, ao terminar iniciar essa volta passei na Av. Búzios e pude novamente contar com a torcida especial da minha esposa, família e amigos, o que dá um gás enorme. Comecei aí então uma grande luta com minha cabeça, pois tinha vontade de parar um pouco para descansar. Sabia que isso seria suicídio, pois uma parada iria gerar a vontade de parar mais vezes. O que procurei fazer foi partir então para o plano C de alimentação. Caminhar nos postos e comer comida sólida que eu tinha vontade de comer (bolacha e bolo junto com Pepsi). Isso ajudou e consegui me manter correndo, mais devagar um pouco mas correndo. Assim foi a segunda volta toda até que abri a terceira e então fui só tomando água, pois nada mais entrava. A sensação de esforço era bem mais alta mesmo correndo devagar mas era o melhor que eu podia fazer naquele momento. Procurei dar meu melhor, sabia que o sub10 já não sairia nesse ano mas tentei ao máximo correr no meu limite do momento e assim fui até a linha de chegada. No final da prova ainda consegui aumentar o ritmo para terminar de uma forma mais digna. Não foi a prova que planejei mas isso é algo normal em provas longas, nem sempre sai tudo conforme o esperado. O mais importante é que fiz meu melhor e que recebi o apoio de muita gente e procurei não decepcionar a mim mesmo e a cada um que me apoiou. Final de tudo com 10h10'20". 

Um dos raros momentos em que realmente CORRI, na saída da maratona... 
O resumo do dia foi mais uma vez uma prova especial, que por mais que não tenha saído no tempo previsto, curti demais fazer. Essa é realmente uma prova especial e poder correr em Jurerê é bom demais.

Queria agradecer todo mundo nominalmente mas sei que seria impossível então agradeço algumas pessoas que representam todo mundo. Em especial, claro minha esposa que mesmo no final da gravidez e com o tempo ruim que estava conseguiu torcer e me apoiar em vários trechos. Minha família e meus amigos que lá estavam sempre gritando meu nome, além daqueles que mandaram mensagem antes e depois da prova. Claro, meu treinador que sempre me apoiou junto com meus colegas de time (que fizeram ou não a prova) e por fim, as empresas que me apoiaram nessa caminhada, Dentro D'água, Corra com Postura e Atacadão do Suplemento. 

Aqui tem a prova na atividade do Garmin Connect.

Agora é fazer um treinamento de manutenção porque logo logo chega o Bernardo. Próxima parada só em Jurerê de novo no Challenge Floripa em dezembro. 

Valeu pessoal...  lembremos sempre de fazer nosso melhor!!

10hs10' depois...   

domingo, 22 de maio de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 19

Quis o destino, mais uma vez, que a penúltima semana - e a última antes da semana da prova - fosse conturbada. Tudo havia começado bem na segunda com um treino regenerativo de corrida no parque logo cedo e uma natação tradicional na hora do almoço. 

Depois, na terça-feira, um ciclismo de força em marcha pesada para Campo Largo onde o mesmo saiu exatamente como mandava a planilha, ou seja, mesmo com trajeto de terreno variado, todo treino feito em uma relação 53/11, e uma cadência bem baixa fazendo força o tempo todo. 

Pouco antes do meio-dia da terça, porém, fui surpreendido com a notícia do falecimento do meu pai no Rio Grande do Sul. Uma notícia muito triste e que abalou repentinamente toda a família. Foi só o tempo de passar em casa para pegar uma mochila e então um voo para Porto Alegre de onde voltei na quarta à noite. Já vinha com alguns problemas relativos à reforma do meu apartamento, quando então fui surpreendido com essa notícia. Semana de muita dificuldade mas que nos faz ter mais forças para seguir em frente.

Estando de volta a Curitiba, de licença por cinco dias, em meio a alguns problemas a resolver, retomei os treinos e meu treinador perguntou se eu não podia fazer uma transição ao invés de somente um treino de ciclismo. Aceitei e então pedalei 50Km até Campo Largo novamente, com um vento BASTANTE forte no retorno. Ao chegar corri mais 10Km no entorno da minha casa para completar a transição. Depois disso perguntei ao meu treinador se teria uma forma de nadar um pouco também, pois eu queria inclusive usar a roupa de borracha. Ele prontamente me falou que eu poderia nadar uns 1500m em um ritmo não muito forte na parte da tarde. Arrumei um esquema na Nado Livre e 16hs estava na piscina onde saiu um treino de 1600m com a roupa de borracha. Gostei da forma como me senti com ela, pois no simulado acho que coloquei com um pouco de pressa e me senti meio preso nos braços. 

Já na sexta foi dia do último longo de corrida, um treino de 18Km feito totalmente no parque Barigüi. Estava me sentindo fisicamente bem e o treino fluiu da forma desejada. Em seguida voltamos à piscina para um treino com série um pouco mais intensa. Mais um treino que saiu encaixado, apesar de já estar louco para somente regenerar. 

Sábado tinha um treino regenerativo que seria feito em trajeto plano, porém o tempo no final de semana em Curitiba estava horrível. Resolvi esperar um pouco e vi que na direção Campo Largo (terreno variado) não estava chovendo. Optei por ir para lá e fiz um treino em ritmo tranquilo somente para regenerar. Escapei da chuva me dando bem no treino. 

Regenerativo solitário a Campo Largo... 
Domingo mais uma vez São Pedro não colaborou e, depois de dezenove semanas, tive que apelar para um longo de bike no rolo. Por sorte era um longo já não tão longo. Fiz duas horas de rolo assistindo o Giro d'Italia e depois parti para a esteira do prédio para correr os 5Km da transição que já se tornou uma tradição no domingo. Treino feito com uma certa dose de sofrimento, pois estou desacostumado a pedalar no rolo, ainda mais treinos de mais de uma hora. De qualquer maneira o dia no domingo realmente não permitiu qualquer atividade ao ar livre. 

Começando a arrumar as malas da viagem... 
E com essa semana difícil chegamos ao final dos treinos pré prova. Agora inicia a semana da prova, onde terça-feira final do dia já estarei em Floripa. Agora é curtir esse momento pelo qual me dediquei por quase um semestre. Como sempre digo, o caminho muitas vezes é mais importante que o destino. Nesse caso é, pois para nós que amamos esse esporte, treinar para essa prova é bom demais, mesmo com todo sofrimento envolvido. 

domingo, 15 de maio de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 18

E vamos ao relato dessa que é a penúltima semana antes da semana da prova. Quis o destino que nessa semana ocorresse algo raro. Tive que abortar dois treinos (ciclismo). Não lembro até agora de ter abortado um treino nesse ciclo mas tem dias que realmente a gente precisa.

Segunda já começou um pouco atípica, pois deveria ter feito um fartlek de corrida mas estava cansado e meio preocupado com algumas coisas pessoais e fiz um treino somente regenerativo, todo rodando fácil no parque. Depois ao meio-dia a natação já foi melhor.

Na terça é que "matei" o treino. Os problemas persistiam, a chuva apareceu, tive mais problemas ainda no trabalho, cheguei tarde em casa e não tinha condições de fazer um treino no rolo. Seria pura tortura para cumprir planilha. Não seriam 50Km de bike em uma terça-feira já em fase de início de polimento que me fariam falta. Deixei de lado e fui descansar o corpo e a mente.

Até por conta de não ter treinado na terça, o treino de tiro de quarta saiu bom, com pequenos blocos em ritmo 4 e séries de 1Km em ritmo 3. Fiz sozinho no parque, pois precisava chegar cedo ao trabalho e não poderia esperar o coletivo da Webtreino. Na natação mais um bom treino, não tanta intensidade mas um pouco mais de volume. No total 4300m nadados. 

Quinta-feira voltei para estrada. Dia meio feio, pois havia chovido a noite toda. Atrasei um pouco a partida para ver se a chuva continuaria ou pararia e resolvi arriscar. Tive a sorte da chuva parar e fazer toda volta com pista seca. Foi um treino solitário onde havia 30Km em ritmo um pouco mais forte. Infelizmente bem no início da parte mais forte tive um pneu furado o que quebra um pouco o ritmo mas isso faz parte e quem está na estrada está sujeito. Ao final, uma alegria enorme em ter voltado para a estrada depois de não ter treinado terça. 

Já na sexta um longo que não é mais tão longo de corrida. 21Km começando bem cedo e em ritmo 2 sem forçar nada. Agora não é mais hora de colocar intensidade. O que tinha que ter feito de intenso já foi. Corri em ritmo 2 o tempo todo. Ao meio dia mais 4000m de natação com uma boa série de 3x de 400m sendo dois fortes e um fácil no meio para descansar. Algo que raramente acontece aconteceu. Fiz a segunda forte de 400m  melhor que a primeira. 

Sábado veio um novo pedal abortado. Não sei o que comi de estragado na sexta que tive uma noite horrível com muita diarréia e vômitos que me fizeram quase não dormir nada. Acordei melhor de manhã mas estava muito debilitado. Como o treino era um regenerativo de 60Km achei que era melhor me poupar para o longo de domingo do que me forçar a fazer um treino desses recém vindo de uma intoxicação alimentar. Falei com meu treinador e ele também me aconselhou a fazer isso.

Dormi bem sábado e, apesar de ter me alimentado pouco, pois não tive muito apetite, acordei me sentindo normal domingo, apenas um pouco mais fraco. O treino consistia em um longo de bike até a Colônia Witmarsum (bastante subida) e depois 5Km de corrida. Meu treinador já havia me falado para fazer um ritmo tranquilo (mesmo antes do meu problema), pois agora não é mais hora de forçar. Depois então, realmente saí disposto a fazer um ritmo mais leve e focar no volume (4:30hs). De qualquer maneira notei que mesmo que quisesse não teria muita força para fazer diferente, pois ainda me sentia um pouco debilitado. Mas do jeito que pedalei as coisas fluíram, apesar de um vento como poucas vezes eu vi na vida. Cheguei a pedalar a 12 km/h fazendo força em alguns momentos de tanto vento. 

As recompensas de pedalar em Witmarsum
Feito o ciclismo, saí para a corrida de 5Km disposto a fazer mais leve também e aí as coisas complicaram. No meio da corrida voltou muito enjôo com o estômago ficando uma pedra. Me arrastei até em casa fechando os 5Km mas a corrida foi sofrível. Depois disso foi descansar para poder iniciar a segunda-feira de maneira recuperada. 

domingo, 8 de maio de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 17

Finalizamos mais uma semana, esta bastante especial onde ocorreu o tradicional simulado Webtreino "pré Ironman". 

"Vamos começar do começo". Segunda-feira foi dia de nadar e, claro daquele fartlek tradicional que se faz com as pernas bastante cansadas. É um treino que normalmente faço sem muita vontade mas que é necessário. 

Terça um pedal com um contratempo no caminho...    esse é o dia que faço um treino de força pedalando até Campo Largo, sempre com marcha pesada e cadência baixa. Saí sozinho nesta terça-feira e ainda na ida, meu porta treco caiu do suporte e foi para o meio da estrada. Um caminhão passou e ele se salvou mas veio o segundo e não teve jeito, esmagou tudo e fiquei rigorosamente sem nada de recurso para alguma emergência. Câmaras, espátulas, ferramentas, etc. Tudo perdido. Teria praticamente toda a volta para fazer sem nada disso então tratei de encontrar alguém para me "escoltar" na estrada. Logo depois de começar a última subida para CL encontrei duas amigas da Manocchio e voltei com elas para casa. Devo esse treino para a Giovana e a Amanda que me proporcionaram uma volta para casa em segurança. :-)

Quarta mais um dia de nadar e correr e esse dia foi muito bom. Logo cedo um longo absolutamente encaixado logo cedo, onde me senti bem nos 30Km com inclinação o tempo todo. Fazia tempo que buscava um treino longo encaixado assim. Meio-dia uma natação igualmente boa com uma série principal bem consistente. 

Quinta tiros de bike. Por ser uma série principal de tiro curto (1Km) optei por fazer no velódromo mesmo. Saiu uma série boa em um dia que não estava frio, o que colaborou bastante. 

Sexta uma corrida mais curta logo cedo, pois sábado haveria o simulado na praia. 12Km no parque logo cedo em um ritmo 2 sem forçar em momento algum. Depois ao meio-dia, quando achei que teria uma série principal tranquila, veio 4x de 3x 100m forte por 200m braçada solto. Mais uma série que saiu bastante consistente e que gostei bastante, apesar de que os 12 tiros de 100m forte deixam a gente com os braços bem cansados. :-)

Na sexta final do dia passei na Dentro D'água para pegar meu macaquinho que vou utilizar no Ironman Brasil 2016. Ele ficou realmente lindo e não tenho como agradecer o apoio da DD nessa caminhada! 

Macaquinho aprovadíssimo para o Ironman Brasil 2016
Sábado, enfim, o simulado Webtreino em Caiobá. Fui com a Ju Ramos logo cedo para praia e chegamos na praia por volta de 7 e meia da manhã. Arrumamos as tralhas e a Webtreino deixou tudo pronto para um GRANDE evento. Contrariando a previsão, não tivemos chuva e o dia saiu perfeito. Uma estrutura fantástica montada pelo time e um treino absolutamente redondo, mesmo com mais uma vez eu tendo problemas com meu suporte do braço no guidão da bike. Foi bom para que eu providencie um novo até o Iron, pois esse me deixou na mão pela terceira vez. Com 60Km (dos 170Km que fiz) fiquei sem e tive que apoiar o braço no guidão. O cotovelo dói bastante hoje mas pude fazer um simulado onde pensei que no Iron algumas coisas podem acontecer no caminho e temos que saber lidar com isso. Foi um treino para guardar na memória para sempre. 

Cotovelo no "seco" boa parte do ciclismo... 
Um BELO time no simulado... 

domingo, 1 de maio de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 16

Mais uma se foi, agora já falta menos de um mês. Essa foi uma semana um pouco atípica, mas não por conta dos treinos. Os treinos seguem a todo vapor e parece que algumas coisas voltaram a encaixar. Atípica pelo fato de estar com reformas em casa e isso tem feito eu dormir um pouco menos do que o pouco que já durmo. Sem dúvidas isso não é o melhor cenário mas é o que tem para o momento. Treinar para um Ironman, antes de mais nada, é algo que necessita de uma vitória por dia. São cinco meses de treino específico, é normal que muitas coisas pessoais ocorram no meio do caminho e aí vai de cada um a melhor forma de lidar com isso. 

Bom, vamos à semana. 

Segunda um fartlek maior do que vinha sendo, o que não foi tão simples depois de um treino longo de ciclismo no domingo. Mas treinar para um Ironman é aprender a treinar cansado, faz parte. Depois uma natação boa ao meio-dia mesmo ainda um pouco cansado. A recuperação do domingo tem sido boa já faz um tempo. 

Terça fiz um treino de força para Campo Largo onde a ideia é aquela, marcha pesada e baixa cadência o tempo todo. O treino coletivo da Webtreino havia sido cancelado mas eu e a afilhada Paula decidimos ir por conta, até porque a chuva que caiu durante a noite deu uma trégua naquela manhã. 

Quarta tive um dia um pouco diferente do que vinha acontecendo. Como estava com cliente na empresa na terça e na quarta eu sabia que não teria como me ausentar por muito tempo na hora do almoço para nadar. Pedi para meu treinador que deixasse a planilha sem natação na quarta, porém achei um jeito de encaixar as duas modalidades. Nadei bem cedo, um treino especial feito pelo meu mestre Ricardo e fechando 4100m (aproveitei para fazer um pouco de volume junto). Deixei os 16Km para a hora do almoço. Assim que o cliente sinalizou que era o intervalo do almoço eu me troquei e fui fazer meus 16Km de fartlek no Passeio Público, algo que fiz por bastante tempo na época que corria mais ao meio-dia. Cheguei em cima do laço para a continuação da reunião mas feliz por ter encaixado os dois treinos no pouco tempo livre que tinha.

Quinta tinha um treino de ciclismo com 2x de 15Km um pouco mais fortes (ritmo 3), porém não queria chegar muito atrasado no trabalho. Acabei optando por não ir ao autódromo, pois é muito longe de onde trabalho e chegaria muito tarde pedalando 60Km por lá antes de trabalhar. Conversei com meu treinador para fazer o treino para Campo Largo mesmo. Esse foi um dia MUITO frio em Curitiba, talvez o mais frio do ano. A temperatura caiu de 30 graus na terça-feira para 3 graus quando saí na quinta 6hs. Fiz um treino solitário já que o pessoal ainda está em período de adaptação ao frio que chegou. :-). Fazer duas vezes de 15Km mais forte para Campo Largo não é algo tão trivial como fazer no plano, pois lá temos que enfrentar algumas subidas no caminho mas, como o que vale é a sensação de esforço, o treino saiu dentro do previsto. 

Terça... eu, o frio e as roupas... 
Na sexta mais um treino congelante, essa vez de corrida logo cedo junto da Ju Ramos minha parceira de #timedobem. Ela fez 12Km e eu 24Km no Parque Barigüi. Começamos a correr com 4 graus antes das 6hs da manhã, pois para mim seria complicado começar mais tarde e trabalhar depois. Finalmente um longo de corrida que saiu encaixado do início ao fim. Fiz todo ele no parque no plano como mandava a planilha. Ritmo saiu no 2 o tempo todo com uma sensação boa, correndo mais solto e leve. Depois, na hora do almoço mais 3400m de natação com séries boas e uma sem vergonha de 400m de pernada com pé de pato. 

A escuridão de um treino longo no parque...    5:55am
Sábado foi dia de mais um treino regenerativo de bike. Saí por volta das 7hs no sentido do SAU (BR 277 Praias) em ritmo leve. Frio estava presente de novo assim como um ventinho chato na volta mas isso tudo faz parte do pacote e o treino foi feito. Depois o sábado inteiro peregrinando em questões relacionadas à reforma do apartamento. 

Domingo veio um treino chave para o Ironman e, novamente, o frio foi o astro principal. 3 graus por volta das 6hs da manhã e foi realmente complicado. Já pedalei com 0 grau mais de uma vez em Curitiba mas juro que nunca senti tanto frio como nesse domingo. Estava extremamente agasalhado mas até que o sol estivesse a pleno vapor estava impossível manter qualquer tipo de aquecimento no corpo. Foi um treino meio que misto. Comecei com o Andrey e o Erico, depois encontramos o pelotão da Webtreino, depois finalizamos sozinhos. Um treino com bastante sofrimento mas bom. 180Km de ciclismo em quase 6hs de sofrimento. Uma pena que não levei minha GoPro para filmar toda vegetação branca no início do treino. 

Agora é pensar na próxima semana que se inicia porque logo logo estaremos em Floripa... 

domingo, 24 de abril de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 15

Vamos ao relato dessa semana atípica, pois teve um feriado no meio do caminho. A programação da Webtreino contemplou várias atividades no feriadão, porém infelizmente eu tive que trabalhar na sexta-feira então fiquei com uma semana diferente da maioria. Ainda assim meu treinador ajustou de uma forma legal que pude aproveitar para fazer meu longo de corrida em um dia sem trabalho, o que ajuda bastante considerando que estamos já com 30Km de corrida. 

Segunda foi dia daquele fartlek de 12Km com algumas variações de ritmo para que o treino fique menos monótono. Apesar de um treino duro no domingo estava me sentindo bem, com menos cansaço que nas semanas anteriores. Consegui correr sem estar com muitas dores pelo corpo. Já ao meio-dia algumas séries de pernas na natação para ajudar na "recuperação". :-)

Terça fiz um ciclismo solitário de força para Campo Largo. Ninguém se manifestou então saí no meu horário habitual. Acabei encontrando bastante gente pedalando pelo caminho, especialmente o pessoal da Mannochio que vai sempre em peso desde cedo para estrada. Sempre bom ter bastante gente pedalando na rodovia, pois dá um pouco mais de segurança para alguma eventualidade estando sozinho. Treino excelente e muito encaixado. Como comecei a semana me sentindo bem esse treino acabou saindo bom também. 

Belo amanhecer na terça-feira...  aproveitar porque a frente fria está chegando segundo os informes... 
Já na quarta de manhã fiz um outro fartlek, esse um pouco mais pesado e diferente. 16Km sendo 2Km de aquecimento e depois 14Km repetindo o seguinte: 
  1' ritmo 3 por 1' ritmo 1
  2' ritmo 3 por 1' ritmo 1
  3' ritmo 3 por 1' ritmo 1

Até parece um treino molezinha mas ao final do treino as pernas estão relativamente cansadas, ainda mais a essa altura do campeonato. E meio dia lá estávamos nós de novo na água para uma série principal de 15x 100m sendo sempre dois moderados e um forte. Treino saiu bem constante sem que forçasse muito no início quebrando no final. 

Quinta houve uma grande mudança na minha rotina, pois normalmente pedalo. Como foi feriado meu treinador encaixou os 30Km de corrida nesse dia, o que me ajudou muito na logística profissional, pois correr 30Km antes do horário de expediente não é fácil. Foi um treino que não gostei muito, achei que não foi plenamente encaixado no ritmo. Saí de casa e fui rodar no Parque Barigüi, pois o trajeto era plano. Senti um pouco de cansaço, um pouco pesado, enfim, saiu em uma toada constante mas não exatamente como eu queria. Bola para frente, semana que vem tem mais um longo e tentamos ajustar. 

Na sexta, algo também diferente, pedal regenerativo que tive que fazer para Campo Largo, pois o horário do trabalho era mais restrito para eu inventar novos trajetos. Fui sozinho até o segundo viaduto em um ritmo bem leve, usando volantinho em todas as subidas do trajeto. Um dia lindo nasceu e foi legal curtir um pedal bem descompromissado, somente para girar leve leve. Já no horário do almoço uma natação com séries moderadas o tempo todo e mais 3300m para a planilha. 

No sábado um intervalado de ciclismo feito na BR277 Praias onde a série principal era de 3x 10Km ritmo 3 com 3Km de intervalo ativo. Fiz sozinho e, apesar do vento forte aumentando conforme o tempo passava, o treino saiu bem certinho, com um primeiro e um terceiro tiros exatamente iguais. O segundo um pouco abaixo, pois tive que fazer o retorno no meio do tiro. 

Domingo, já que não pude fazer o longo junto do time, combinei com alguns parceiros (Andrey e Erico) que também não puderam e fomos fazer o tradicional treino da Volta do Litoral. Saímos de Curitiba bem cedo, descemos pela BR277 até Morretes e depois subimos pela estrada da Graciosa e completamos pela estrada Dom Pedro até chegar novamente na BR277 praias. É um treino bastante duro aqui na região, ainda mais se levarmos em conta que toda subida da Graciosa é em trecho não asfaltado. Pelo menos um dia inteiro sentindo o corpo inteiro trepidar. Além disso o vento estava fora do normal, especialmente nos últimos 15Km do treino onde manter 25kph de média era um desafio. A vontade era de parar e chamar um táxi. 

Passando por Morretes... 
E agora são praticamente mais quatro semanas de treinos efetivos e mais a semana da prova. É...  chegou. 

domingo, 17 de abril de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 14

Talvez uma das semanas mais cansativas do ciclo se encerra. Alguns dias dormindo menos que o habitual, treinos chegando no ápice, etc. Por outro lado o RPG tem me ajudado bastante no sentido da flexibilidade, postura, respiração, etc. Não tem jeito, nessa fase vamos estar cansados e isso é normal. Claro que se for um cansaço excessivo tudo deve ser discutido com o treinador. Não é meu caso, a questão aqui é o cansaço natural de um ciclo cansativo por si só. 

Segunda-feira começou com o corpo já um pouco cansado mas com aquele clássico fartlek de 12Km cuidando um pouco para não exagerar nos ritmos 3, pois a ideia da variação de ritmo é somente passar o tempo mais rapidamente. Meio dia uma natação não tão regenerativa, porém essa minha nova rotina de treinos com corrida de manhã e natação meio-dia tem sido boa para as pernas. Mesmo cansadas da corrida o rendimento na água tem sido bom. 

Terça o bom e velho treino de força para Campo Largo. Ainda com um certo cansaço mas feito conforme a planilha pedia. Apenas no final um pequeno contra-relógio de pouco menos de 10Km, pois eu tinha consulta médica e parei para ajudar uma amiga na troca de um pneu furado. O jeito foi acelerar um pouco no final mas tudo deu certo, para ela e para mim. 

Quarta foi um dia que realmente acabou comigo. O treino de tiros foi bastante intenso com tiros curtos em ritmo forte seguidos de 3Km bem ritmados. Repetir isso duas vezes em um treino total de 16Km. A questão é que nos tiros a tendência é usarmos mais a ponta dos pés e isso sempre castiga bastante as panturrilhas, que permaneceram doloridas até o final de semana. Já meio dia de volta para água para uma série boa e constante na água. 

Quinta foi dia mais uma vez de treino hamster, pois com autódromo fechado o jeito tem sido apelar para o velódromo. 50Km com uma série principal de 5x 5Km com 2Km soltos de descanso. Saí cedo de casa mas com bastante cansaço acumulado da semana com compromissos noturnos. O primeiro tiro foi bem aquém do que normalmente eu faço mas depois o ritmo foi encaixando, até porque os tiros eram em ritmo 3 e não 4. Final da tarde foi dia de esticar o corpo no RPG, algo que tem me feito muito bem.

Sexta tinha o longo para fazer mas confesso que a vontade estava zero. MUITO cansaço e dores espalhadas ainda pelo corpo. Acontece que o eram 27Km de corrida e se não fizesse nesse dia não faria mais. Meu treinador me falou para fazer em um ritmo bem mais leve em função desse cansaço. Foi o que procurei fazer, porém logo que comecei a correr, por volta de 5:30hs, senti que nem se quisesse não conseguiria correr em uma velocidade como de hábito. Pensei muito no caminho até o parque e chegando lá, após a primeira volta parei, olhei o parque vazio, pensei mil vezes em desistir. Estava cansado, com dores, não queria correr. Pensei, pensei, pensei. Por três minutos fiquei parado, sozinho na pista mas ao final das contas decidi que não iria desistir. Fui pensando em "volta a volta" e aos poucos o treino foi indo, bem mais arrastado e dolorido que de hábito mas foi e essa vitória mental que tive foi importante. Ao meio-dia uma natação também cansada mas que saiu dentro do que dava naquela hora e sem esfarelamento. Séries relativamente constantes. 

Sábado mais um treino com a ideia de ser bem regenerativo junto com a Ju Ramos. Foram 60Km de trajeto plano e num ritmo bem tranquilo saindo de casas e voltando. Por sorte fomos bem cedo porque os dias em Curitiba estão sendo bem quentes já quase em maio, algo bem estranho

Domingo um treino diferente passado pelo treinador. Normalmente os longos de ciclismo são feitos em um ritmo 2, aquele ritmo "cruzeiro". Dessa vez a ideia do treino era de variação de ritmo. 160Km com 3x de 40Km um pouco mais ritmados com 10Km soltos no meio. Foi interessante fazer esse treino diferente. O único inconveniente foi que para fazê-lo no plano fiquei dando voltas na BR277 praias em um trajeto de 40Km. Já na sexta o amigo Andrey perguntou qual seria meu treino e no sábado confirmou que iria junto. Começamos bem cedo, estrada escura e com uma neblina que deixava a visibilidade bastante baixa. Logo que começamos o primeiro "tiro" de 40Km vimos que seria um treino "interessante". Demos três voltas até o SAU e na volta final fomos até onde fecharia a distância. O treino até que saiu muito bom. A segunda série de 40Km foi a melhor mas a última, mesmo já com bastante vento contra na volta, fechou da mesma forma que a primeira, ou seja, não morri. Ao chegar em casa com 160Km do treino saí para correr em uma corrida também muito boa. Finalmente um treino de domingo sem quebrar e de modo bem encaixado. 


Agora inicia-se o último quarto do ciclo. Sem dúvidas é o mais desgastante mas temos que pensar que o objetivo está logo ali na frente. 

domingo, 10 de abril de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 13

Vamos a mais uma semana de treinos. Infelizmente não tenho conseguido fazer mais posts durante a semana como gostaria. Entretanto tenho tentado não falhar com esse post semanal contando como foi a semana. 

Segunda tinha que fazer exames de sangue logo cedo então fiz o treino de natação meio-dia, como aliás tenho feito a maioria deles ultimamente já que minha logística ficou melhor assim. O "fartlek regenerativo" foi feito no final do dia, horário que não gosto muito mas que foi necessário. 12Km com 15x de variação de ritmo para ajudar a passar o tempo mais rápido. Pernas estavam um pouco cansadas de tanta subida domingo, porém menos que no treino de Witmarsum que fizemos em um ritmo um pouco mais forte. 

Terça saiu aquele treino de força no ciclismo que está virando o famoso "treino da mentira". Encontra um amigo aqui outro acolá que fala. "Estou cansado", "Vou num ritmo tranquilo, estou quebrado". Aí chega na primeira subida e o cidadão ataca. :-). Treino saiu bom e pernas responderam igualmente bem. 50Km na conta. 

Quarta veio um treino de tiro mas não em altíssima intensidade. 16km tendo como série principal 10x 1Km em ritmo "levemente desconfortável" e não "totalmente desconfortável" conforme meu treinador. Treino absolutamente encaixado e praticamente um relógio. Aliás, duas parciais foram EXATAMENTE um relógio. Depois na hora do almoço uma natação interessante mesmo com um pouco de cansaço da intensidade matinal.

Isso é o que eu chamo de relógio suíço... 
Quinta foi mais um dia de ir no velódromo, pois o autódromo ficou fechado toda semana para ciclismo. Mais uma vez iniciei o treino com a Ju Ramos, minha amiga e parceira de #timedobem. Minha série principal era de 8x 3Km em ritmo 3 com um descanso de 1Km solto. Outro treino que saiu encaixado. Quase um relógio. O velódromo é interessante, pois mantemos bastante a questão da cadência controlada, além de ser totalmente plano. Claro, nem tudo são flores, a volta é de 300m, ou seja, a gente gira bastante. Além disso não está muito bem conservado e temos que ultrapassar muitas vezes várias pessoas. Há que se ter um certo cuidado durante os tiros. 

Sexta um dia novamente bem redondinho. De manhã o longo de corrida feito com bastante inclinação pela cidade de Curitiba. Mais uma vez bolei um trajeto passando pelos parques Barigüi e Tingüi onde consigo água e banheiro caso necessário. Foram 27Km que se iniciaram logo cedo da manhã para poder chegar no trabalho a tempo. Por volta de 5:20hs iniciei o treino que foi bem certinho. Subidas ainda cansam bastante, especialmente na fase atual que estamos chegando no pico de treinamento para o Ironman. Mas é só voltar ao plano que a FC baixa logo, sensação logo está boa novamente. Treino feito da forma como gostaria. Já na hora do almoço mais 3300m de natação. Tenho ficado satisfeito com minha rápida recuperação nos treinos mais intensos ou longos de corrida. Isso tem ajudado na natação do meio-dia. 

Sábado mais um dos treinos regenerativos que tenho feito entre o longo de corrida e o longo de ciclismo. Fui de novo com a Ju Ramos para a BR277 praias e fizemos um pedal bem tranquilo com um tradicional pneu furado para manter o histórico. Tudo num ritmo bem solto. 

Domingo veio o longo de ciclismo. Combinei com alguns galos e saímos um pouco antes das 6:30hs da manhã para um trajeto entre Curitiba e a rodovia Alexandra Matinhos que leva ao litoral paranaense. Aproximadamente 160Km contando o trecho da minha casa até a BR e com a Serra do Mar no meio do caminho. Novamente bastante calor em Curitiba, apesar da neblina logo cedo. Fomos num ritmo relativamente encaixado até lá embaixo. A descida da serra foi com bem pouco movimento em função do horário, o que nos dá segurança. Na volta viemos bem e acabamos encontrando o pelotão da Webtreino no pé da serra. Acabei me juntando a eles mas na serra há sempre uma separação boa. Da metade para o final da subida acabei tento problemas de hidratação, pois subestimei a minha água na bike. Uma caramanhola esquentou demais e a outra acabou. Isso me deixou com bastante sede e fome até chegar no topo da serra já a 25Km de Curitiba. Por sorte ali consegui me hidratar, comer e acabei me recuperando para a volta para casa. Nessa volta o pessoal resolvei imprimir um ritmo mais forte e fomos numa boa toada até quase em casa quando aí resolvi deixar um grupo ir, pois eu ainda pedalaria até em casa e já estava bem cansado. Na chegada em casa uma corrida de 5Km já com um certo grau de esfarelamento mas que saiu razoável. 

Chegando no litoral paranaense...
E assim termina a 13a semana. Mais três e teremos então um mês para a prova. 

domingo, 3 de abril de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 12

Agora realmente a porca começa a torcer o rabo. Todo treino é um pouco mais longo, tudo começa a tomar proporções maiores. Tudo parece te cansar mais, tudo parece ter uma dimensão diferente. Estamos a menos de dois meses da prova e tudo tem que correr do jeito que a gente espera senão bate aquele bom e velho "cagaço"! 

Segunda o dia estava cheio. Fiz uma avaliação da biodinâmica de corrida ao meio-dia e uma sessão inicial de RPG no final de tarde com o pessoal da Corra com Postura, ou seja, treino só de manhã. Fui então nadar no primeiro horário da academia - 6hs - e em seguida corri meus 10Km de fartlek até o parque Barigüi e voltei. Tive a infeliz ideia de pegar um tênis que eu já estava aposentando e o infeliz me causou um pouco de dores até quarta, mas foi somente a velhice dele mesmo, tudo resolvido. 

Terça o tradicional pedal de força para Campo Largo, tudo em marcha pesada e com um grupo que não brinca em serviço. Todo mundo fala no início que tá cansado mas chega na hora do pedal e todo mundo inventa de realmente fazer bastante força. :-)

Quarta logo cedo dia de pista. Meu treino: aquecimento, depois educativos, série principal de 3x 4Km em ritmo 3 (firme) e depois soltura. Treinador pediu para cuidarmos no primeiro para terminar melhor que iniciamos. Acabei sendo um pouco conservador no primeiro mas mesmo assim achei que foi um treino bom. O terceiro de 4Km já vem um cansaço legal pelo ritmo firme que foi colocado nos outros dois. Depois, na hora do almoço uma natação com 3200m que gostei bastante mesmo com um certo cansaço da manhã.

Quinta um treino mental. Dia de 50Km sendo 20Km em ritmo 3 (firme mas não morte). Com o Autódromo (local que eu vinha fazendo esses treinos) fechado nessa e na próxima semana acabei optando por ir no Velódromo de Curitiba. Não é o melhor lugar do mundo, pista meio esburacada e com somente 300m mas pelo menos dava para fazer o treino sem preocupação com trânsito em estrada. Aqueci 15Km depois foram 20Km em ritmo mais puxado. O inconveniente do velódromo é que a pista não é a mais lisa do mundo e com o tráfego de outras bikes acaba sempre tendo que ter atenção nas ultrapassagens que, em função da pequena distância da pista, são constantes. Treino feito e dentro do previsto.

Sexta dia de longo de corrida logo cedo. Dia amanheceu fresquinho mas com um lindo nascer do sol. Treino de 24Km que optei por fazer o mesmo trajeto da semana passada, pois era a mesma distância. Só dessa vez optei por inverter o sentido para não ficar exatamente igual. A conclusão que cheguei é que, apesar de as duas formas terem, obviamente, bastante subidas, o sentido dessa sexta foi um pouco menos dureza. Treino com uma boa dose de subidas e duas paradas curtas somente para pegar água (Parque Barigüi e Parque Tingüi). Meias de compressão, trabalho e o segundo tempo foi de cair os braços do corpo. Série principal da natação toda com palmar. 8x 100m forte. Os dois primeiros nos sentimos o Phelps. Os dois seguintes começamos a duvidar. Os próximos dois nos sentimos um nada. Os últimos dois queremos morrer. Mais ou menos assim. Saí com os braços tremendo. 

Sábado mais um dia de pedal regenerativo. Mais ou menos duas horas contando o tempo que saio de casa e volto. Dia estava bem gostoso para pedalar. Eu e a Ju Ramos fizemos um pedal bem descontraído e minha ideia de regenerar deu certo, apesar de alguns pequenos ataques dela que tive que neutralizar. :-)

Domingo o treino mais decisivo da semana, longo de ciclismo com mais 5Km de corrida no final. Trajeto escolhido foi Estância Ouro Fino mais o Concretão. Duro, MUITO duro mas feito. Optei por fazer com a bike de estrada, pois pedalaria bastante tempo em subidas sem poder usar os benefícios da contra-relógio. Mais uma vez contamos com o apoio de carro da Ju Ramos, o que foi bem legal inclusive em uma troca de pneu, bastante rápida com a bomba de pé disponível no carro. Triste mesmo é receber uma mensagem sábado à noite do Fellipe Gomes (que vai largar na Elite do Iron Brasil) perguntando onde iríamos para ir junto. Tá, o cara foi passeando e quase me matou. :-) Terminei o treino bastante cansado, pois essa combinação de trajeto não é fácil, porém não estava quebrado. Entretanto a corrida de 5Km no sol de mais de 30 graus do meio dia depois desse pedal, essa sim me quebrou. Terminei me arrastando e só queria uma comida e uma cama. 

Concretão, onde a criança chora e a mãe não escuta... 
Desespero...  cabeça tombada... 
Semana concluída com aquela sensação que vamos ter no Iron, de um grande cansaço.

Agora é recuperar que amanhã começa tudo de novo. 

domingo, 27 de março de 2016

Ironman Brasil 2016 - Semana 11

Mais uma semana concluída dentro da expectativa de treinos. Nesta semana, como nado em academia e sexta foi feriado, foram somente dois treinos na água. Talvez por essa razão na segunda o treino não foi tão regenerativo como eu esperava. De qualquer maneira foi bom estar na água com as pernas ainda doloridas do domingo passado. Quarta na água tivemos uma leve surpresa. Uma série principal já quase no final do treino com um certo volume nas costas. Mesmo que nada tivesse sido muito forte até ali, a série de 3x 200m forte ao final do treino não foi fácil. Ainda assim saiu muito boa e de uma forma até progressiva. 

Em termos de corrida foram três treinos, um fartlek regenerativo na segunda, ainda com as pernas cansadas, depois um treino de tiro que não foi o que eu esperava na quarta. Esse talvez tenha sido um dos treinos mais difíceis de tiro que fiz. Um pouco pelo treino em si (três séries de 5x 400m ritmo forte com 1Km de ritmo moderado ao final de cada cinco). A primeira bateria rendeu dentro das minhas expectativas mas a segunda já foi aquém. A terceira me irritou porque as pernas já estavam longe do que eu gostaria que estivessem. De qualquer maneira fui lá e terminei o treino fazendo o melhor que podia. Já na sexta-feira foi o dia de longo de corrida. 24Km com inclinação onde escolhi um trajeto em que as subidas foram sofridas. O dia estava estranho, meio frio meio nublado meio garoando. Aquele dia em que corrermos quase solitário pelos caminhos da cidade. Fiz um trajeto bastante duro com MUITA subida. Considerando tudo isso o treino foi bom.

Em termos de ciclismo foram todos treinos bons. Terça um treino de força para Campo Largo. A ideia desses treinos de força é fazer as subidas sempre com marcha pesada e baixa cadência, ou seja, FORÇA! Antes do início do treino aquele velho papo de ciclista: "Estou cansado, vou de leve". "Cara, estou morto, hoje ritmo tranquilo né?". De fato eu ainda estava com um leve cansaço nas pernas, especialmente fazendo força na subida mas a ideia era essa mesmo. Ao final do treino eu e o parceiro Lauro nos olhamos e falamos: "Por que a gente mente?". Treino feito e saí feliz para o trabalho. Já na quinta fui com a Ju Ramos, amiga e parceira de #timedobem logo cedo para o Autódromo Internacional de Curitiba. Aquecemos juntos (eu 5km) e logo fui para meus "tiros" de 10Km. Ritmo mais forte naquele local onde tanto venta SEMPRE cansa mais as pernas mas a ideia era essa: fazer força e pedalar forte por 30Km em baterias de 10Km separados por 5Km leves. No sábado saiu um treino regenerativo de bike de pouco mais de 50Km. A ideia era regenerar pós longo de corrida para preparar o corpo para o treino de domingo. Já no domingo um treino com uma certa dose de inclinação novamente, um tanto de vento novamente e, claro, mais de 100Km novamente. Não foi um ritmo forte como semana passada mas o vento realmente vai incomodando ao longo do trajeto. Na chegada do pedal aquela corrida espanta pernas cansadas de 5Km. Saiu boa apesar do forte calor que já fazia devido ao avançado horário.

Turma reunida
No meio do caminho havia um chocolate. Havia um chocolate no meio do camino. Afinal de constas era um pedal de Páscoa.
Assim se foi a 11a semana e já estamos quase que nos finalmentes. Agora começam os longos bem longos tanto de corrida quanto de ciclismo. Aqueles treinos que saímos mas não sabemos direito a hora que voltamos. O curioso é que agora é que tudo começa a ficar ainda mais divertido.