Epiderme, gancheira e um câmbio Dura-Ace

Treinar para um Ironman e não enfrentar dificuldades não é treinar para um Ironman. Ontem (sábado) após o treino e já chegando no parque em um daqueles momentos de babaquice desatenção, acabei esbarrando num obstáculo e fui para o chão. Tombo idiota, leve, quase parado, nada demais. Um pouco da epiderme da mão direita afetada e uma leve dor (da pancada somente) no amortecedor traseiro, no caso a bunda mesmo. Tudo bem, dei uma conferida na bike, nada parecia anormal, fui para casa. 

Já em casa dei uma outra conferida e apenas um arranhão da raspada no chão. Infelizmente a minha (grande) inexperiência com mecânica de bikes acabou não enxergando algo que acabou com meu treino de domingo. 

Hoje, domingo, depois de mais uma inspeção (ineficiente) saí para o treino junto com o Kelvin. Tudo certo no início até que em uma subida 10Km adiante do Parque Barigüi (íamos pela BR277 em direção a Campo Largo) acelerei para passar dois ciclistas de MTB e...    o pior aconteceu. Um barulho seco, roda traseira travou e se não fosse uma reação rápida para soltar os pés do pedal eu teria ido para o chão de novo. Passado o susto, depois de descer da bike vejo o grande estrago. Gancheira arrebentada, câmbio traseiro com avarias que, creio eu, devem inutilizá-lo e uma corrente toda retorcida. A roda traseira também sofreu alguns prejuízos em função do choque com os componentes que se soltaram.

Não teve jeito, acabei com meu treino e ainda atrapalhei o do Kelvin. Fomos caminhando (de volta) até um posto onde consegui chamar o "resgate". Lá agradeci o apoio logístico e moral do companheiro de treinos e ele seguiu para concluir os 60Km da nossa planilha.

Chegando em casa não perdi tempo (se perdesse não teria mais paciência para fazer) e terminei o treino na bike de spinning mesmo. Foi o que deu para fazer. 

A gancheira e o câmbio




A lição aprendida: enquanto eu não tiver tanta capacidade de discernimento em relação a essas questões mais técnicas, o melhor a fazer em qualquer dúvida é levar no mecânico da minha confiança antes do próximo treino.


A propósito, como dá para ver na foto não foi com a Cervélo (TT) e sim com a minha bike de estrada. :-)

Comentários

  1. Que droga hein... minha esposa caiu na estrada também, parada, foi desclipar da sapatilha, soltou a perna direita e foi apoiar com a esquerda que estava presa no pedal, ralou o joelho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... já fiz uma dessas também.
      Acontece nas melhores famílias. :-)

      Bom, aconteceu aconteceu agora é arrumar e seguir em frente. Nada que atrapalhe os planos.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas