Uma "meta velada"


Quando comecei a correr tinha uma vontade. Conseguir correr bastante tempo (o que seria um ritmo 2) a 10Km/h ou 6'/Km. Por um tempo (ainda acima do peso e "recém ex-sedentário") isso ficou distante das minhas possibilidades. Só conseguia se forçasse mais o ritmo e elevasse bastante a frequência cardíaca, saía do ritmo 2. Fui melhorando aos poucos até que, pacientemente, cheguei nesse patamar. Depois disso a ideia era conseguir me sentir tranquilo a 11Km/h, ou ~5'27"/Km. Aos poucos fui melhorando nos treinamentos e consegui chegar lá. Depois houve o período da minha cirurgia ortognática em que tive que parar de correr por alguns meses. Voltei à estaca zero e em 2010 recomecei da meta dos 10Km/h. Como já tinha uma certa base consegui rapidamente voltar ao nível anterior. Fui de novo então rumo aos 11Km/h de velocidade "cruzeiro". Por algum tempo eu conseguia correr, por exemplo, 10Km até mais rápido que isso mas, olhando friamente, não era um ritmo 2, uma velocidade tranquila em que eu conseguiria me manter por muito tempo. Eu tinha que forçar um pouco e a FC não ficava num nível desejável. Isso só veio a acontecer mesmo ano passado onde, aí sim, consegui completar a maratona nessa velocidade sem ter qualquer problema de quebra. Como comentei no post sobre ela, até sobrou um pouco de força e foi uma prova extremamente agradável, me sentindo bem o tempo todo. A FC ficou sempre perto de 155bpm, ou seja, estava ali estabelecido aquele ritmo como ritmo 2, uma velocidade que eu conseguiria correr até caírem as pernas. Depois da maratona e já com treinos bem mais organizados comecei a pensar que seria possível chegar num ritmo 2 perto dos 12Km/h ou 5'/Km. Tenho notado que cada vez mais me aproximo disso, depende um pouco de outros fatores como clima, o cansaço acumulado da semana, sono, etc. De qualquer maneira em geral tenho chegado cada vez mais perto. Minha intenção é fazer de novo a Maratona de SC em Florianópolis tentando concluir num ritmo agora perto de 5'/Km. Conseguindo isso o ritmo 2 chega num novo patamar e a evolução continua.

A corrida de hoje ao meio-dia ilustra bem essa situação. 14Km que ficou numa FC média de 154bpm (máxima de 162 em algumas subidas do trajeto) e um pace de 4'58". Claro que o clima ajudou muito, pois estava por volta de uns 18 graus e até uma garoa (que se tornou uma pancada forte de chuva por menos de um Km no Km 10). Digamos que estava um clima excelente para a corrida. Quando as coisas conspiram a favor não tem jeito, tem que dar certo. 



Não preciso dizer, OBVIAMENTE, que esse não é um ritmo relacionado ao Ironman. Lá é tudo diferente e conseguindo fazer a maratona com 6'30" de pace eu já fico feliz. Aliás, conseguindo terminar a maratona do Ironman vivo eu já me dou por satisfeito. Essa conversa toda é para corridas, simplesmente, e somente, corridas. 

Comentários

  1. Muito legal o seu relato quanto as metas antigas, atuais e também seu "pé no chão" quanto a maratona do Iron, as subidas de canasvieras acabam com qualquer prognóstico mal elaborado por iniciantes, eu fui um deles hehe.

    É curioso quando vejo o pessoal falando de km/h na corrida. Um dia desses teve um amigo meu que me disse que estava correndo a 10km/h durante 40 minutos, e que seu próximo objetivo seria correr a 11km/h. Eu tentei explicar pra ele que deveria trabalhar com pace min/km, seria bem melhor, pois mudar do 10km/h para o 11km/h poderia ser bastante doloroso.

    Parabéns pelo excelente treino, tais no caminho certo. Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Kiko. Não faz ideia de como é importante para mim receber palavras de incentivo e apoio de caras como tu e outros que aqui comentam. Caras que já enfrentaram essa prova que respeito MUITO e que vou tentar encarar dessa vez. Isso me dá mais ânimo ainda para treinar muito e tentar me divertir ao máximo lá no dia.
      Quanto aos Kms/h, com certeza na corrida temos que tratar por pace, subir um km por hora na corrida é bem diferente do que subir um km por hora na bike, por exemplo. :-)
      Forte abraço e mais uma vez obrigado, pela leitura e pelas palavras.

      Excluir
  2. Milton, que barreira interessante essa dos 5 min/km não ? Cara, vc tá fazendo uma análise parecida com uma que o Joe Friel faz pra corrida, diz ele que é uma medida de economia na corrida. Mas tem que ser com as outras variáveis (clima, horário, tipo de treino, estado de cansaço, etc) fixadas. O que ele faz é dividir o pace pela FC média e fazer uns ajustes. É bem legal, fiz uma planilha ano passado mas preenchi meia dúzia de vezes :-).

    Sobre o Iron: se vc estiver com a bike consistente, pode esperar de 15 a 30 seg/km mais lento do que na maratona solo. No primeiro, eu tinha uns 3:50 na maratona e saiu 4:18, mas a bike foi um desastre, só que o engraçado é que com a melhor maratona em 3:16 a do iron tá em 3:42, ou seja, a distância anda meio parecida, em torno de 26-30 min hehehe. Uma certeza: vc vai fazer uma PUTA prova no último domingo de maio, pode ter certeza.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Pina... já dei uma olhada no tal Joe Friel e vou ler com mais calma... mas só depois do carnaval porque juntar os treinos com o trabalho (o carnaval inteiro, vê se pode!) não vai ser fácil. :-) Mas valeu pela dica.

      Quanto ao Iron, de fato o que mais me preocupa é a bike, ainda é a que tenho mais dificuldade de treinar pela logística, apesar que tenho conseguido treinar a bike tanto sábado como domingo nos longos e transições. Pelo menos até o Iron eu estou bem empenhado em deixar a bike mais consistente, até porque foi a modalidade que eu comecei mais tarde. Eu ainda queria ir para estrada durante a semana mas com a minha rotina e o local que moro aqui é bem difícil. De qualquer maneira os de intensidade tenho feito em casa na bike de spinning que tenho. Até ela se acabar eu vou fazendo nela, depois invisto num rolo. Se eu conseguir 15-30s/Km de diferença para a maratona solo eu ficaria MUITO feliz. Não vou ficar muito otimista para não me decepcionar, mas vou lembrar disso até lá.

      Quanto à prova... agradeço mesmo as palavras Pina. Falo o que falei para o Kiko ali acima. Fico muito agradecido pelas palavras e, vindo de vocês que são caras experientes e bons no negócio, só me dá mais ânimo, incentivo e motivação para treinar. Para mim o mais difícil eu acho que vai ser dosar o medo de quebrar com a vontade de apertar um pouco o ritmo. Na maratona foi assim por ser a primeira, no fim sobrou um pouco de gás mas eu não sabia e tinha medo de quebrar. Na segunda com certeza vou saber um pouco mais. No Iron também vou ter esse medo mas acho que até lá eu vou aprendendo mais com vocês, meu técnico, etc. e consigo dosar da melhor maneira possível.

      Forte abraço!

      Excluir
    2. Entonces... essas provas longas exigem respeito. Mas eu acho que tem que ser um respeito 'ousado'. Pois se pensarmos bem já é uma ousadia se meter nessas coisas. Só que a linha entre ousar e quebrar é tênue, hehehe. Na primeira tem que ser como na tua maratona mesmo, dosando com base no conhecimento dos treinos... mas depois dos 34, na última volta na búzios, esquece tudo e gasta o que tiver :-)

      Excluir
    3. Boa dica Pina... na última volta tem que fazer não sobrar nada mesmo. Só espero mesmo é não cruzar essa tênue linha. :-)
      Depois, no segundo tenho certeza que tudo será melhor.
      Abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas