Uma mudança de vida e o Ironman 2013

Eu havia comentado em post anterior que ainda tinha um assunto relacionado ao Ironman 2013 que eu gostaria de falar. É chegado o momento. A importância desse evento na minha vida. Algumas informações já estão no link com a minha (breve) história, ou seja, não chega a ser uma novidade.

Como alguns já sabem, minha história é recheada de vários quilos de gordura a mais e muito sedentarismo até o ano de 2007, época em que eu estava com 30 anos. Um evento relacionado a uma roupa que não me serviu, mais uma enorme insatisfação com a minha condição. Foi isso que bastou para eu decidir que era chegada a hora de mudar. Busquei uma nutricionista, um endocrinologista e comecei a tentar pensar diferente, agir diferente. Os resultados foram logo aparecendo e em alguns meses de hábitos alimentares muito menos desastrosos eu já havia emagrecido 18kg (iniciei o processo com 98Kg). Entrei então em uma academia e a perda de outros tantos quilos foi questão de tempo. No total foram 30Kg ao final de tudo, porém nesse convívio com o esporte meus pensamentos em relação à saúde também foram mudando.

Desde pequeno eu sempre fui fascinado por esportes de todos os tipos, porém isso ficou somente no patamar teórico por muitos e muitos anos. Em 2008, já tendo emagrecido e com algumas curiosidades novas em relação à prática de esporte, comecei a correr. Treinava sozinho mesmo, não era muito fácil mas por alguma razão eu fui tomando gosto por aquilo. Seguindo o caminho natural logo eu estava participando da minha primeira prova de rua, 10Km de corrida que, sinceramente, não lembro o tempo, afinal o tempo para mim na época era o que menos importava. Àquela época 10Km era uma distância praticamente a ser contada em anos-luz em se tratando de corrida para mim. Quando comecei eu mal conseguia trotar por 5 minutos em uma esteira.

Segui 2008 e 2009 da mesma forma, já magro e com a corrida fazendo parte da minha rotina. Em 2010 tive uma pausa em função de uma cirurgia e em 2011 o ciclo recomeçou, na ocasião de forma ainda mais séria. Neste mesmo ano resolvi voltar para a natação para diversificar as modalidades. Em seguida veio a bicicleta e a consequência lógica: o triathlon. Tá bom, e onde o Ironman entra nisso tudo que falei? O Ironman entra quando então comecei a fazer amizades no meio do triathlon e, em especial depois que fiz minha primeira prova de Short Triathlon em abril de 2012 e assisti o Ironman 2012 em maio na cidade de Florianópolis. Aquilo despertou uma vontade tremenda dentro de mim. Uma das razões está lá no início: a academia. Lembro como se fosse hoje, era um sábado e eu estava - como todos os outros dias da semana - na academia. Saí da aula de spinning e havia uma aula de abdominal. Sentei enquanto esperava o professor e nisso olho para o lado e havia uma mulher com uma camisa onde estava escrito "Ironman 70.3". Naquela época eu mal sabia o que era um Ironman, muito menos sabia que o 70.3 significava a distância, em milhas, de um meio Ironman. Mas mesmo pouco ou nada sabendo me veio um pensamento na cabeça: "Ironman? Já vi algo a respeito disso em algum lugar. É uma prova humanamente impossível, os caras ficam quase um dia inteiro competindo pelo que sei. Não é possível que alguma pessoa normal faça isso. Como que uma pessoa que está na mesma academia que eu, ou seja é normal, usa uma camisa dessas?". Isso foi o que realmente eu pensei. Volto a 2012. Assisti a prova e na largada, já tendo feito uma - e somente uma - prova de triathlon não pude conter a minha emoção. Ver aqueles homens e mulheres de ferro largando eu pensei. É incrível e sensacional o que eles fazem com seus corpos e suas mentes. Tudo bem, é incrível mas eu também posso fazer e acima de tudo eu QUERO MUITO fazer, esse esporte é fantástico e essa prova ainda mais. Eu vou fazer. Dali uma semana aproximadamente abriram as inscrições para a edição 2013 e eu consegui uma vaga. Era um compromisso comigo mesmo. Um sonho tardio mas um sonho é sempre um sonho, independente do momento. Treinei ainda sozinho por um tempo quando então iniciei com a minha assessoria.

A partir de janeiro de 2013 eu treinei, mas treinei MUITO. Os treinos eram (e são desde então) um compromisso e um prazer para mim. Ao longo dos cinco meses de treinos específicos para a prova eu, mesmo sem perceber, fui me tornando não um Ironman, não acho que uma pessoa que faz a prova merece um "título" vitalício assim. Eu estava me transformando em alguém capaz de encarar aquele desafio e provar para mim mesmo que com a disciplina e dedicação necessárias era possível. Na melhor das hipóteses eu "estaria sendo um Ironman". As distâncias foram ficando cada vez maiores, os esforços cada vez mais intensos e a data se aproximando. Com um apoio incondicional da minha esposa e da minha família chegou o dia 26 de maio de 2013. Na hora que eu fui para a praia estava sozinho. Eu caminhava sozinho pela areia. Olhei para o mar, ainda era noite, o sol muito timidamente ainda repousava atrás do morro. Meus olhos encheram d'água. Eu pensei: "É...   eu quis muito isso aqui. É a hora de me divertir e, acima de tudo, mostrar para mim mesmo que eu estava certo em sair da inércia em que eu fiquei por muitos anos. Agora eu sou um atleta". Nessa hora entrei na água para me aquecer um pouco e fui para meu local de largada. A felicidade em que eu competi naquele domingo foi algo incrível. Muitos brincaram comigo que eu ganhei o título de atleta mais feliz do Ironman. A felicidade não era simplesmente por estar em Jurerê, por estar perto da minha família e amigos. A felicidade era porque eu me senti capaz de algo que poucos anos antes parecia humanamente impossível para mim. A felicidade era porque eu efetivamente me tornara um vencedor antes mesmo de entrar naquele mar junto de mais de 2000 atletas.

Que venham muitos outros treinos, muitas provas e, claro...   muitas outras edições do IRONMAN.

Desejo que todo mundo encontre dentro de si alguma razão para praticar esportes e levar uma vida mais saudável. Por experiência própria eu garanto que ninguém vai se arrepender.



Hoje


Ontem

Comentários

  1. que mudança...muito legal... parabéns..

    ResponderExcluir
  2. Caaaara ! Que texto espetacular !
    PARABÉNS !!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Pina... o cara vai ficando velho e vai ficando sentimental. :-P
      Abraço!

      Excluir
  3. Que mudança radical hein, tais até com cara de mais novo hoje.
    Eu tb comecei bem depois do que queria, mas nunca é tarde pra voltar a ter saúde...

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Fábio, a banha envelhece um monte. :-)
      É... bem isso... antes tarde do que nunca.
      Abraço!

      Excluir
  4. Eu estava quase desistindo do Ironman, mas lendo esse post, percebo que é possível,sim. Obrigada, Milton!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem o que agradecer Deysi.
      Quanto ao desafio, é perfeitamente possível... basta ver o que já escrevi. :-)
      Disciplina, treinos, saúde e força de vontade. Com certeza tu termina o Ironman numa boa. Tá... meio cansada, mas numa boa. :-)
      Abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas