Aprendendo a não sofrer com treinos ruins

Semana passada aprendi mais um pouco essa lição. Segunda-feira saí meio cansado (noite de sono não havia sido nada boa) para um treino de 10Km com leve inclinação. Fui em direção ao Morro da Lagoa para fazer a volta logo no início dele (subir seria insanidade e MUITA inclinação). Ao voltar do morro, próximo de pegar a rua geral do bairro que me levaria para casa, em mais uma das belas calçadas da cidade acabei por virar o pé mais ou menos no sentido do desenho abaixo:


Recentemente já tinha sofrido algo parecido mas consegui tirar o peso do pé de maneira muito rápida. Essa vez, porém, não foi dessa forma. Senti que doeu mais e que não consegui tirar o peso do pé tão rapidamente. Aquilo me deixou assustado e na mesma hora parei e sentei numa mureta. Fiquei ali uns cinco minutos olhando para o pé e vendo como eu me sentia. Para minha sorte não inchou e a dor foi diminuindo mas mesmo assim não passou 100%. Tratei de voltar para casa correndo mais devagar e tentando sentir o que acontecia. No final das contas não sentia dor ao caminhar ou correr, a dor era mais quando o tornozelo se inclinava (pensando num movimento de pronação ou supinação) e isso acontecia mesmo sentado ou parado (só simulando o movimento). Muito gelo, um pouco de Biofenac, e algumas cuecas borradas (de medo) e vi que na terça já amanheceu melhor. Na terça então testei o movimento do ciclismo no rolo e não incomodaria, segui o treino. 

Neste momento da semana eu ainda me sentia preocupado porque viria então uma corrida um pouco maior (12Km em ritmo 2) e eu tinha medo que sentisse dor e, consequentemente pudesse ser algo mais sério, porém quarta-feira um treino de corrida excelente na Beira Mar Norte começou a mudar meus pensamentos. 


Já na quinta-feira, depois de algumas conversas com meu treinador, resolvi fazer um teste. Geralmente o ciclismo de terça é intervalado e o de quinta um giro constante. Como eu começo meus treinos da manhã sempre por volta de 6:15hs eu sei que a ciclovia da Beira Mar Norte é bastante vazia. Ao invés de fazer 50-60' no rolo resolvemos testar fazer 35Km na ciclovia (um pouco mais de uma hora). Da minha casa (praticamente início da ciclovia) até o a cabeceira da ponte Pedro Ivo (final da ciclovia) dá praticamente 9Km. Com duas idas e "fridas" eu fecharia a distância. No final o teste foi aprovado e para treinos de giro vou fazer mais vezes. Claro que não é uma rodovia e não posso querer tentar chegar a 40kph mas a ideia desse treino de quinta nem é essa mesmo. Alguns poucos pontos com asfalto meio acidentado mas de resto bastante liso e com praticamente nenhum ciclista ou corredor a essa hora da manhã. 


Já fechando a semana mais um ponto alto e um baixo. No sábado um excelente treino de transição (40Km ciclismo/5Km corrida) onde até me surpreendi com o início da corrida (que era para ser forte mesmo). Não me sentindo em ritmo 4 (ideia era ritmo 3) olhei no Garmin e estava correndo a menos de 4'/Km. Fiquei achando que o Garmin estava errado mas no segundo Km continuou assim. Claro que ao fazer o retorno no 2,5Km o cansaço bateu um pouco e com ele um ENORME sol com calor muito intenso que já fazia aquela hora do dia. O ritmo caiu um pouco no terceiro e quarto quilômetros e no quinto, com o leve aclive para chegar em casa e o calor ainda maior, caiu bastante. Caiu tanto que o treinador me mandou uma mensagem no WhatsApp assim que fiz o upload do treino: "Quebrou?". Na verdade não considero que tenha quebrado porque não tive que parar, me jogar no chão, vomitar, morrer nem nada disso. Só estava difícil manter o mesmo pace naquele leve aclive e com aquele calor e cansaço. Talvez pudesse ter saído um pouco mais leve para manter mais constante mas mesmo assim o técnico gostou e é o que vale. 


No final das contas terminei o sábado já com o treino de segunda esquecido e vendo mais uma vez que as dificuldades aparecem mas não devem ficar acima de tudo.

No domingo um outro imprevisto me fez ter que pedalar no rolo. Gostaria de ter ido para a estrada mas não foi possível. Arrumei a bike no rolo, MUITA água e, a partir de 11hs da manhã comecei um pedal de 2hs no forno, digo rolo. Pensei comigo que o pior treino é aquele que a gente perde e nunca o que faz, por mais diferente ou pior que ele seja. 

E a semana terminou assim. 

Comentários

  1. Tu correste a menos de 4'/ km depois de pedalar por 50km?? AFFE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não Deysi... eu tive um rompante de empolgação somente por 2Km. E foram 40Km de ciclismo. Não distorça os fatos. Kkkkk
      Abração futura Ironman! ;-)

      Excluir
  2. As calçadas são sempre uma aventura, tipo trail running. Sempre fico com receio de torções nesses trechos. Ainda bem que não foi nada grave.
    E veja só hein, pace de menos de 4/km na transição é muito bom mesmo. É lógico que o cansaço e o calor tornam difícil sustentar esse ritmo, mas o fato é que as pernas estão cada vez mais rápidas! Parabéns.
    Abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Lean, me dá uma raiva isso porque eu ainda estou fazendo um hobby mas eu várias vezes vejo cadeirantes tendo que andar pelo meio da rua porque não conseguem andar nas calçadas.
      É, assim eu espero Lean. De fato nunca tinha nem iniciado assim alguma transição. Parece que estou evoluindo mesmo. Vamos ver! Valeu meu amigo, obrigado.
      Abração.

      Excluir
  3. Olha, pelo que eu entendi, fostes um super homem, depois de virar o tornozelo e passar a semana com a planilha praticamente 100%. Sorte das cuecas..rsrs
    Abraço e bons treinos! Ingrid

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade acho que só fui um pouco teimoso, Ingrid. Não sei se isso é uma qualidade ou um defeito. Kkkk
      Sorte das cuecas foi boa. Kkkkk
      Abração e bons treinos para ti também.

      Excluir
    2. Qualidade, sempre!
      Bons treinos.. bjo. Ingrid

      Excluir
  4. Sempre que posso fujo das calçadas, mesmo aquelas "asfaltadas" daqui de Curitiba. O entra e sai das garagens atrapalha e engaa muito. Dá muito receio de torcer o pé.
    Ainda bem que está tudo bem Milton, e firme que vem coisa boa por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também evito ao máximo Luiz mas infelizmente tem pontos que não tem como escapar. E foi bem num desses pontos que deu o que deu. Mas é isso mesmo, não foi nada sério.
      Quanto à coisa boa, que assim seja meu amigo!
      Forte abraço!

      Excluir
  5. Oi, Milton.
    Desculpe o sumiço da leitura do blog. Férias é férias, né?
    Ainda bem que o lance do pé não foi nada grave heim. Que fique assim e seja só mais uma história pra contar... Tenho acompanhado seus treinos e nesse calor é dureza mesmo. Tenho corrido às segundas e quartas na beira-mar norte, às 18h30, é de pedir água no 2 km. Gente, que calor é esse. Mas, pra ganho de gás é uma beleza. Vamos nessa!
    foco nos treinos, amigo. Go Milton go.
    abraço
    Helena
    Blog Correndo de bem com a vida
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina Helena, não precisa se desculpar, eu acompanhei muito bem as tuas férias pelas praias. Kkkkk
      Ainda bem mesmo porque essa vez levei um susto, confesso.
      Tá dose mesmo e com certeza 18:30hs é pior que 6hs da manhã. Que todos nós tenhamos foco e força porque tá brabo!
      Valeu o incentivo e a visita de sempre Helena!
      Abração e bons treinos!

      Excluir
  6. Treino bom é treino feito, não tem como sair tudo sempre 100 % e isso não importa. O que importa é começar a correr forte e regressivo onde o pace final é que vale :-)) KKKK.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou e disse Pina. Bem isso, o que não se faz é que é ruim.
      Quanto à regressiva... devo concordar... mas dá para melhorar e tentar fazer mais constante. Eu acho.
      Abração!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas