Ironman 2014 visto de dentro

Queria voltar ao tema Ironman 2014, desta vez sob o ponto de vista de quem estava lá dentro. O post de é de um grande amigo que fez a prova mais uma vez. Nem falei com ele mas creio que não vá se importar com o link para seu blog aqui no meu.

Tomei a liberdade de fazer isso porque este Ironman dele (muito bem relatado no post) mostra um pouco o porquê da paixão que costumamos ter pelo esporte de endurance. Esse tipo de prova NUNCA é igual. Podemos estar bem treinados e as coisas não irem bem. Podemos ter um dia perfeito quando não esperamos e tudo encaixar direitinho. Podemos ter inúmeras variações ao longo de uma prova. Tudo isso pode fazer um dia perfeito, um dia arruinado ou ainda, o que é mais "bonito" e foi o caso dele, um dia que começa arruinado mas termina muito bem, pois puxamos do fundo das nossas forças (físicas e mentais) tudo que temos sem jamais desistir. 

Convido vocês então a ler o post do Fábio Mendes no seu blog Long Distance na Bagagem

Parabéns Fábio, teu relato é emocionante e a tua baita maratona depois de tantos problemas foi incrível. Foi muito legal ter conseguido te ver por lá! Ano que vem estaremos juntos na pista!


Comentários

  1. Que lindo, Milton...nossa!!!!!! Sem palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal a história e prova do Fábio né, Deysi? Fora tudo isso, já falei para ele várias vezes que não sei como ele consegue treinar para o Ironman sendo comissário de vôo. Kkkk

      Excluir
  2. Pow Milton, tuas palavras são sempre válidas, não me esqueço das que tu me falou na prova, e aquilo me deu muita força pra terminar, mesmo com muitas dores.
    As 3 provas anteriores eu só queria terminar, cada vez diminuindo um pouco o tempo, esse ano treinei bem mais, fiz trocas importantes em tudo pra correr melhor e esse ano não só esperava terminar (eu já sabia que não morreria forçando um pouco mais) mas queria terminar bem melhor que nos outros anos, estava bem confiante pra isso e sabia que seria capaz de fazer bem melhor, mas tudo deu errado por ter viajado pra Venezuela uns dias antes. Infelizmente o trabalho ainda é mais importante do que o triatlon e eu não tinha escolha, o que sai na escala eu tenho que fazer, mas só estava preocupado com as madrugadas voando antes da prova, não pensei na alimentação. Ao mesmo tempo que essa seria a prova mais fácil se tornou a mais difícil, e durante 12 horas meu corpo pediu pra parar o tempo todo, mas eu sabia que bem controladinho, eu conseguiria manter os pensamentos ruins por um bom tempo longe, e assim fui terminando por etapas essa prova, a mais dolorida de todas.
    Eu me lembrei o tempo todo do quanto treinei, do quanto já tive dias piores e sobrevivi, pensei muito no valor da inscrição, de tudo que deixei de fazer com minha mulher pra fazer mais um Iron, e assim fui trabalhando a cabeça pra chegar até o final. O mais incrível de tudo isso é que vim de uma lesão em agosto do ano passado, o médico disse que eu não correria mais, e essa era minha pior modalidade, a que eu menos gostava e agora é a que sou um pouco melhor do que as outras e a que gosto mais, resta agora treinar bem mais pra ano que vem conseguir o que tanto desejei esse ano.
    Valeu pela homenagem, sabe que tu é um amigo que surgiu virtual e hoje considero amigo pra toda hora.
    Sabe que o que precisar de mim, estarei aqui pra ajudar também, conte comigo sempre.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Fábio! Cara... a homenagem é mais do que justa. A gente se conheceu pela internet e depois passamos a nos encontrar por aqui. Mesmo que tenham sido poucos treinos juntos, foram muito legais e tenho certeza que faremos outros! Fora as provas que agora vamos nos encontrar também. Eu achei demais esse teu relato e essa tua força para terminar essa prova. Não sei se eu no teu lugar não teria desistido. Foram muitas adversidades! Uma coisa que acabei até esquecendo de colocar no post mas que já te falei é que realmente te admiro ainda mais por conseguir treinar para esse nosso esporte mesmo sendo comissário de voo. Eu já acho difícil treinar mesmo tendo uma rotina certinha, fico imaginando como é trabalhando com escalas!
      Parabéns meu amigo! Nos falamos por aqui em breve. Dia 17 de agosto estarei na maratona de novo e depois vem a preparação para o Challenge. Assim que der marcamos mais algum treino!
      Abração!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas