O treino duro que faz parte da caminhada

Ontem mais uma vez precisei ir a Curitiba resolver questões pessoais. O dia foi escolhido a dedo porque não tinha como me ausentar do trabalho por um dia inteiro. Como ontem tinha jogo da seleção então o expediente era mais curto. Teria como ir e perder menos horas de trabalho. Também pedi um ajuste e meu treinador montou uma planilha encaxada nos outros dias da semana para deixar a sexta de folga.

A programação foi acordar 4hs da manhã e sair 4:30hs de Floripa rumo à Curitiba. Lá tudo complicou. Sem tempo de parar nem por um minuto o máximo que deu foi para ir beliscando bananas e umas fatias de pão que eu e minha esposa deixamos no carro. Água foi MUITO menos do que estou acostumado ao longo dos meus dias. Conseguimos sair de volta mais ou menos 12:30hs sem tempo nem para almoçar. O objetivo era chegar de volta em Floripa antes do jogo da seleção brasileira e sem pegar muito trânsito, o que na BR376/101 é impossível. Enfim, um dia muito cansativo e com alimentação e hidratação muito comprometidas. Ao chegar em Floripa pouco antes das 17hs o negócio foi "jantar" comida de verdade, minha única do dia, enquanto assistia o jogo.

Tudo isso refletiu no longo de corrida de hoje. O treino era de 28Km com ligeira inclinação em ritmo constante e perto de 4'50"/Km, o que não era para ser muito sofrido.

Acordei com muita sede e tomei muito suco, o que já não foi o ideal. Logo no começo da corrida senti um pouco de enjôo e uma certa fraqueza. Já no sexto Km pensei em voltar para casa, fazer os 28Km amanhã e não fazer o longo de ciclismo previsto. Parei, tomei uma água, pensei isso mas logo pensei diferente. Pensei que isso pode me acontecer numa prova e eu preciso saber lidar direito. Fui em frente, com muito mais dificuldade que de hábito mas fui. Sentia muito mais sede que habitualmente, tive que parar pelo menos umas três vezes mais que o normal para arrumar água. Cada subida era um sofrimento. Ainda assim o treino foi saindo, aos trancos e barrancos mas foi.  Por sorte o clima ajudou e o sol previsto não apareceu. A corrida foi toda com mais ou menos vinte graus e tempo fechado. 

Ao final os 28Km saíram a 4'49"/Km, dentro do previsto, porém com mais sofrimento do que deveria. Ainda assim, e o mais importante, saiu, e fico feliz por isso. Agora é descansar que amanhã tem um ciclismo entre 60Km e 80Km. E assim a maratona vai se aproximando. 




Comentários

  1. Pra fazer tudo isso só com uma cabeça boa, e pra quem termina o Iron isso não é tão difícil assim Miltão. Por isso mesmo sofrendo conseguimos fazer o que nos propomos.
    Parabéns pela superação, esse ano quero te ver no minimo entre os 50 primeiros de novo.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Fábio. Para fazer um Ironman, acima de muito treino e perna, tem que ter muita cabeça! E é isso que nos move.
      Quanto à maratona... força pode ter certeza que eu vou fazer. Resta saber quantos outros farão mais que eu. Kkkk
      Abração e valeu pela força!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Os ruins são sempre os que mais nos ensinam, Pina!
      Abração!

      Excluir
  3. De fato, os treinos pra cabeça são os mais difíceis, mas os que nos levam mais longe.
    Parabéns Milton!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Lean, obrigado meu amigo.
      É bem isso... eles é que nos levam mais longe e eles estão sempre presentes, seja qual for a caminhada do momento.
      Abração!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas