Challenge Florianópolis 2014

Vamos a mais um relato de prova. Como sempre digo, o tipo de post mais difícil para um cara com péssima memória como eu, pois dificilmente consigo fazer logo após a prova e depois, para lembrar das coisas é difícil. :-)

Vou tentar não me alongar muito para não ficar um post muito grande (meio impossível).

Pré prova.

Essa vez consegui ir para o local da prova um dia antes do que seria "normal" e então peguei o treino oficial de natação na sexta-feira. Foi bem interessante, apesar da primeira boia ter se soltado e feito a gente nadar pelo menos uns 2300m. Mas é interessante para pegar alguns pontos de referência do caminho.
O lado ruim de tudo isso é que fui mais cedo porque, infelizmente essa vez minha esposa (e torcedora número 1) não pode ir comigo e teve que ficar em Curitiba.

Aproveitei também para fazer outras coisas mais cedo como colocar as rodas de competição na bike. Aliás nessa hora verifiquei que o meu movimento central estava meio travado, o que depois o Max e seu mecânico descobriram tratar-se de um rolamento travado. Fizeram de um tudo e conseguiram limpar o maldito, acabando com meu susto.

Isto feito, sexta ainda dei uma volta com a bike e uma corrida de 10' um pouco mais forte. Depois disso era só descansar, ou pelo menos tentar.

Sábado foi dia de dormir um pouco mais, encontrar vários e vários amigos. Alguns antigos, alguns mais novos, alguns que vi pessoalmente pela primeira vez. Depois assistir ao simpósio e, por fim, encarar uma fila gigantesca para entregar a bike no checkin.

Domingo acordei por volta de 3:30hs e depois de tudo feito em casa, por volta de umas 5 e pouco fui para a área de transição arrumar as coisas e depois tentar ver como estaria o mar, pois como a primeira largada era 6:10hs o negócio era chegar cedo. Indo para praia e entrando no mar na hora do aquecimento eu já vi que a situação não seria nem de perto igual o ano passado. Mar EXTREMAMENTE mexido - como previsto - e MUITO vento.
 
Os últimos treinos antes da prova, já em Floripa

Quinta-feira final do dia, o mar uma piscina
Natação

A largada da prova foi feita em ondas, sendo o horário da minha categoria 6:45hs. Levei água e alguns lanches enquanto esperava na área destinada aos atletas. Pouco antes da primeira largada foi anunciado que o trajeto havia mudado e ficado reduzido em função da segurança dos atletas. Um barco passaria a segurar a segunda bóia e o trajeto passou de 1900m para aproximadamente 1000m. Essa vez procurei me posicionar com a faixa no peito (metido que se fala né?) e reto na boia. Essa vez até que nadei relativamente bem orientado, porém não foi muito rápido, pois foi a primeira vez que nadei em mar mexido dessa forma e estranhei bastante. Mas ainda assim não foi uma natação ruim. Saí da água com 13' e cheguei no tapete da transição com 14'. Meu Garmin marcou 800m.

Antes de iniciarem as largadas

O mar na quinta versus o mar no domingo
 
Ciclismo

O ciclismo foi bastante duro em função do vento. Dei azar que minha bike ficou no primeiro spot, o mais longe da saída da transição de todos. Correr tudo aquilo segurando a bike (na ida e na volta) foi meio chato mas faz parte. Tive um pequeno percalço no monte da bike, pois o cara da minha frente entalou e travou no meio da pista. Ao parar para não bater nele minha sapatilha enroscou soltou do elástico, soltou do pedal e tive que parar para calçar. Tentei já sair forte mas num ritmo que não acabasse com as pernas para a corrida. Na ida o vento ajudava mas após o retorno as coisas realmente se complicavam. Foi um dia com vento bastante forte em Floripa e o negócio era não tentar deixar se abalar pelo fator psicológico. Minha meta, caso o tempo fosse igual ao ano passado, era tentar pedalar para algo próximo de 37kph (36.5kph como em Brasília possivelmente), porém com aquele vento logo vi que não seria possível. Fiz bastante força mas no final do percurso fiquei em 35.4kph, o que naquelas condições até que foi bom. Também pesou o fato de ter muito mais atletas esse ano e estava difícil não ficar enroscado no meio de gente e/ou pelotões. Tão difícil que, em algum lugar, em algum momento, em alguma situação (todas que eu até hoje não sei) me deram uma penalização por vácuo. Justo eu que cuido tanto para cumprir todas as regras. Infelizmente quando estava entregando a bike para começar a correr, um staff veio correndo do meu lado avisar que eu deveria ir para a penalty box. Perguntei o motivo mas ele me disse que não sabia, apenas tinha repassado para eles os números. 

Bike desta vez com uma roda de competição
Corrida

Quando estava então calçando meus tênis para ir correr acabei sabendo da penalidade e fui para tenda de penalidade para ficar sentado por 10'. Angustiantes e desesperadores 10'. Pelo menos serviu para esfriar a cabeça, pois tenho minha consciência tranquila que não pedalei em pelotão ou roda de ninguém. Enfim, havia sido punido e cumpri a punição. Depois dos 10' saí para correr com MUITA vontade. Queria tentar tirar um pouco do atraso. A corrida saiu surpreendentemente boa. Claro que o primeiro Km foi para 4'15" e vi que seria inviável manter. Logo as coisas foram se ajustando para algo próximo de 4'30" que era minha ideia inicial. Até o quilômetro 15 deu para manter bem esse ritmo. Após esta distância já começou a ficar mais difícil. Por sorte, a cada passada na região mais central de Jurerê eu ouvia muitas vezes o meu nome gritado por familiares e amigos e isso ajudou bastante a continuar fazendo muita força. Ao final das três voltas da corrida e sem sentir dores das lesões, acabei marcando meu melhor tempo nos 21Km nas três provas de distância de meio Ironman que fiz. 1h36'42" com um pace de 4'32". Tentei MUITO ficar abaixo de 4'30" mas não consegui. Fica para próxima. Já fiquei muito feliz em ver que apenas 16 pessoas da minha categoria (que tinha quase 300) correram melhor que eu nessa prova. Isso para um "ex-lesionado" é quase um troféu de primeiro lugar. :-) Neste ponto cabe o agradecimento especial para algumas pessoas. Minha esposa, como sempre, que além de me aturar sem poder correr e (com o perdão da expressão) enchendo o saco em casa, sempre me falou que eu iria ficar logo bom. Além dela, também meu treinador Fábio Bronze que soube acompanhar todo o caso e dosar a volta para as corridas a tempo de me preparar para a prova. Vários e vários amigos que sempre me apoiaram e, claro, dois fisioterapeutas que me cuidaram muito bem. Milena Ruschel e Paulo Dobruski (osteopata). Sem essas pessoas eu não teria conseguido. 

Correndo atrás do prejuízo (foto da amiga Tati Checchin)

4h37' depois... chegando (foto da amiga Tati Checchin)

Aqui deixo o link da prova no Garmin para quem tiver curiosidade.


Ao final de tudo o tempo oficial foi de 4h37'57", incluso o tempo da punição, que fez minha T2 ficar com mais de 11'. Não vou negar que a punição me deixou bastante chateado mas com o tempo tudo vai passando. Sei do que eu fiz e do esforço que foi para terminar essa prova. Por várias vezes cheguei a pensar que não conseguiria fazer a prova porque as dores não iam embora. Concluir dessa forma, mesmo com 10' a mais me deixou mais confiante para o ano de 2015.

Quanto à organização, coisas boas e ruins, sem dúvida. O que mais pesou foi que a prova acabou sendo pior organizada que o ano passado, mesmo este ano estando com a marca Challenge. Para mim as três coisas piores foram:

- Água do ciclismo sendo dada em garrafa pet, ou seja, no meio do ciclismo tínhamos que dar um jeito de abrir a tampa (que vinha só "deslacrada");
- O fato de eu não ter sido comunicado (com cartão ou verbalmente) da minha penalidade. Pelo menos para eu aprender, caso tenha sido algum momento de ingenuidade meu. Fora que fui perguntar como fazia para entrar com recurso. Fui informado que deveria esperar o resultado. Só que o resultado veio depois que já havia acabado o prazo do recurso conforme o regulamento, ou seja, informação errada;
- Falta de água em alguns pontos da corrida, além de isotônico e Coca Cola quentes.

Falei das coisas ruins mas muitas coisas foram legais no final de semana. Talvez a principal delas tenha sido de ter encontrado tantos amigos (dos que já conhecia pessoalmente e dos que conhecia somente através do blog e/ou redes sociais). Foi um final de semana de encontrar muita gente bacana que, mais uma vez não vou citar um a um para não cometer injustiça, afinal minha memória é péssima e com certeza esqueceria algum.

Agora é fazer treinos de manutenção até o final do ano para em janeiro começar a treinar para o Ironman 2015!

Comentários

  1. Milton,
    muito legal o seu relato, principalmente por ter acompanhado todo o período de lesão e dores que você passou. Não poderia ter sido melhor, e apesar da punição, você provou mais uma vez que a sua determinação te leva longe – e ainda levará muito mais.
    Parabéns!
    Abraço,
    Lean

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Lean, muito obrigado meu amigo! Tuas palavras são sempre muito importantes para mim!
      Forte abraço!

      Excluir
  2. Parabéns, Milton!!!! Pena que não explicaram a causa da tua punição. Mas isso não é nada..tu arrasou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Deysi... acho que nunca vou saber mas... tudo bem. De resto, muito obrigado. Fiz o que foi possível! Kkk
      Abração e mais uma vez obrigado!

      Excluir
  3. Mandou ver ! Não falei que ir correr pra danar ?
    Essa garrafa na bike eu gostei ! Era só 'espremer' dentro do aerodrink, e todas eu pedia 'sem tampa'....

    Show cara, parabéns pela bela prova !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou mesmo Pina. Valeu meu amigo! No Iron a gente vai se encontrar mais pelo caminho, tenho certeza! Kkkk
      Quanto à garrafa, justamente essa prova eu não ia recarregar o aerodrink, ia manter um Vo2 ali nele e pegar caramanholas com água. Mas além disso, achei meio perigoso. Mas isso vai de cada um, claro!
      Valeu cara, parabéns pela tua prova também!
      Abração!

      Excluir
  4. Milton, Parabéns por essa grande conquista! É admirável a sua determinação!
    Aqui em Florianópolis, bem cedinho, descendo a Rua Frederico Veras, mesmo em dias bem frios, você começava seu treino. E também em dias chuvosos.
    Somente agora estou conhecendo seu diário de triatleta. Muito bom!
    Tudo de bom aí em Curitiba e que venham mais desafios e conquistas! Vamos lá!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh valeu Sueli. Lembro que te via sempre também (com chuva ou sol) saindo para treinar na Frederico Veras. Agora estou aqui no frio de Curitiba mas vontade continua a mesma! Muito obrigado pelas palavras!
      Entre final de janeiro e o carnaval volto a treinar uns dias em Floripa durante as férias!
      Abração e mais uma vez obrigado!

      Excluir
  5. Parabens Miltonnnn, não tinha dúvidas do seu sucesso. Mesmo com todas adversidades a sua dedicação e disciplina falaram mais alto!!! Exemplo pra todos nós!!
    p.s: quando eu for velhinhas assim, quero ser igual a vc! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mazahhhh Maria! E não é que tu sabe falar sério também (exceto pelo PS kkk). Muito obrigado minha amiga! Não foi fácil mas a gente dá um jeito né! Obrigado mesmo! Bjs e vamos em frente!

      Excluir
  6. Eu já sabia que tu iria "socar a bota". Uma lesãozinha é muito pouco pra tua força de vontade invejável. Tu é o cara, besti!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeeeee Tati!!!! Obrigado querida!! E obrigado por ter ido lá torcer! Foi muito legal! Obrigado mesmo! Bjs!

      Excluir
  7. Boa Miltão!!! Só hoje consegui passar aqui pra ler mas já sabia mais o menos como tinha sido!!!
    Só tenho uma coisa pra dizer: tu é o cara!
    Mas não vai pensando que vou aliviar sua barra em Brasília não!!! ������
    Grande abraço, bons treinos e até Brasilia.
    Armando - http://atriathlon.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Armandão! Obrigado parceiro! Espero que possamos nos conhecer e nos divertir em Brasília!
      Abração!

      Excluir
  8. Ótimo texto, Milton.
    Cara, eu fico p... com a deficiência de informações de qualidade e vou bater nessa tecla sempre. E é o que ocorreu com tua punição. Ser punido sem saber onde nem porque ? Até mesmo para que, como vc mesmo disse, se fosse justa a punição que você soubesse para evitar novas situações iguais. E imagine se o fiscal que anotou o número errou ou confundiu ou retransmitiu de forma errada. Afinal fiscais também erram. Bom, de qualquer jeito parabéns pela ótima prova. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Cyrino (agora acertei kkk), obrigado! Pois é, bem isso. Eu só queria saber o porquê!
      Obrigado e parabéns pelo teu post também!
      Abração!

      Excluir
  9. Boa garoto, passou voando por mim, só deu tempo de olhar rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu meu amigo. Eu só tava aproveitando o vento a favor. Kkkkk
      Abração! Muito bom ver o amigo lá!
      Ano que vem tem mais!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas