O esporte, o esforço, o prazer e a recompensa.

Como todo mundo aqui já sabe, comecei a praticar o triathlon em 2012 já com quase 35 anos e depois de ter emagrecido quase 30Kg. Muitas foram as lições de lá para cá mas talvez a que mais se destaque é que só podemos chegar mais perto do que desejamos com um esforço repetido diariamente e, em muitos casos, exaustivamente. 

Nunca fui muito adepto da ideia do dom. Acho que as pessoas podem ter uma predisposição, um ambiente que prematuramente às "molde" para algo. Mas o dom propriamente dito nunca tive opinião muito favorável, especialmente no esporte. 

Apesar de recentemente ter achado que ele pisou na bola em um evento numa universidade, sempre fui fã do Oscar Schmidt, um dos maiores jogadores de basquete da história. Como tenho quase 40 anos vi uma das melhores eras do nosso basquete sob o comando dele. Vi todo auge da carreira desse grande brasileiro e um dos atletas "mais atletas" que esse país já teve. Ele SEMPRE detestou o apelido que talvez tenha se tornado o mais comum para ele: "Mão Santa". Ele detesta porque a mão dele não é/era. É/era condicionada, treinada. Exaustivamente treinada. Ele treinava milhares de arremessos antes e depois dos treinos. Fazia apostas com os amigos de quantas cestas seguidas conseguiria marcar. Arremessava de todas as posições da quadra simulando jogo, simulando marcação, etc. Arremessava até de olhos fechados. Ele não nasceu com esse dom, ele condicionou seu corpo para fazer o que fazia. Este é um dos exemplos mais próximos e por isso eu o cito. 

Eu penso que este mesmo princípio vale para qualquer tipo de esporte e nível de atleta. Aliás, esta é uma das razões que eu atribuo a grande dependência do nosso futebol (do tão mentiroso "país do futebol") a alguns nomes somente e por essa razão que em uma ou outra geração o Brasil vai lá, ganha alguns títulos e depois cai no ostracismo de novo. O brasileiro acha que jogar futebol é um dom, que sempre soube e sempre saberá, e vai além, saberá mais que os outros. Muitos atletas "profissionais" vão lá, "jogam bola" e pronto, acham que o talento irá fazer o resto. Acham que muitos treinos de fundamentos não são necessários ou são chatos demais. Outro exemplo? Por que Rogério Ceni, histórico goleiro do São Paulo Futebol Clube é tão preciso batendo faltas e pênaltis? Porque termina o treino e ele fica lá treinando, treinando e treinando. Fez isso por anos na carreira. É isso, treino e repetição. Oscar e Rogério são só dois de infindáveis exemplos deste tipo de atleta.

Falo tudo isso para cair no meu humilde exemplo. Hoje posso dizer que faço o triathlon bem melhor do que quando comecei em 2012. Poderia ter iniciado naquela época e ter me mantido do mesmo jeito, treinando quando queria, sem acompanhamento, sem todo equipamento. Entretanto essas condições eu tinha só porque antes eu queria conhecer o esporte antes de investir nele. A partir do momento que conheci, com o mínimo necessário, e gostei, passei então a investir neste esporte. Investimento em mim e em equipamentos. Muito além do financeiro, o maior investimento que fiz e faço é treinar com regularidade e seriedade, respeitando o que o profissional que me treina pede e com bastante felicidade, afinal de contas para nós amadores o esporte tem que trazer prazer. O profissional tem naquilo o seu "ganha pão", ou seja, por mais que ame o que faz nem sempre estará feliz com aquilo, afinal são muitas pressões, dependência financeira, etc. Nós amadores não, nós temos que saber que aquilo que estamos fazendo é para nos trazer felicidade, para nos libertar as outras formas de estresse que a vida se encarrega de nos trazer com a mesma regularidade que treinamos. 

Tendo prazer diariamente nos treinos eu tenho a mais plena convicção de que a evolução virá. Sou, e sempre serei, um amador. Um amador que fica ali nas posições intermediárias, no "meio do bolo". Mas de uma pessoa eu sei que eu sempre sou melhor. Eu mesmo no dia de ontem. E é isso que eu busco todos os dias quando vou treinar. Olhar para trás e pensar que eu só preciso vencer esse meu "eu de ontem". Isso me deixa completamente realizado no esporte que eu escolhi. Obrigado Triathlon! 


Comentários

  1. ótimo post! Nunca é tarde pra encontrar algo que dê prazer, e quando dá prazer não tem pouco tempo de sono ou muito tempo de treino que te deixarão infeliz, muito pelo contrário..quanto mais, melhor! Continue firme. Orgulho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bruna! Exatamente isso que penso! Obrigado pela torcida e pelo carinho de sempre!

      Excluir
  2. Excelente Milton. Infelizmente essa mentalidade é muito comum, tanto nos esportes quanto nas artes e outras atividades. Duro será aguentar a mídia tentando “vender” as Olimpíadas daqui pra frente, sempre buscando aqueles que exemplificam um dom quase sobre humano.
    Mas a verdade é essa. Suor e dedicação, depois um pouco de predisposição e muita gana, de melhorar e seguir em frente. Nesse caso você não é um “humilde exemplo”, mas sim um grande exemplo a ser seguido, mesmo por aqueles que já se acham muito bons no que fazem.
    Vamos nessa!
    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah Lean. Obrigado pelas palavras meu amigo. Vindo de ti que tu sabe que é um cara que admiro demais isso tem muito valor. Eu sempre pensei isso e exemplo é o que não me falta. O teu é um deles!
      Forte abraço meu amigo!

      Excluir
  3. Isso aí Milton, só dom não vale de nada se não treinarmos.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Fábio! Isso aí amigo!
      Abração!

      Excluir
  4. Cara, meeeeu !
    Que texto !!! Resumiu muito do que eu estava pensando dia desses... É isso mesmo, suor trás resultado. E te digo uma coisa, tua evolução tá só no começo, pode acreditar.

    Essa figura no final é fantástica.

    Valeu o post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah Pina. Obrigado pelas palavras parceiro! Cara... sempre pensei isso... só não sei escrever direito! Repetir e repetir. Dedicação... é o que faz evoluir. E que a minha seja assim como tu fala! Kkkk
      Abração meu amigo!

      Excluir
    2. Sabe sim... :-) Tá aí em cima.
      Vai ser, já tá sendo.

      Tacalepau em Brasília !!!!

      Excluir
  5. Bacana o texto! Me identifiquei um pouco, sou aprendiz no esporte, emagreci 60kg, fiz um short ano passado e estou me preparando para o challenge floripa. Sempre que sobra um tempo dou uma bisbilhotada para aprender um pouco com as experiencias dos amigos. Bons treinos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba Mateus, parabéns pela tua mudança! Legal parceiro, obrigado! Estamos aí sempre para aprender! Estarei no Challenge também novamente. Quem sabe não nos falamos por lá! Forte abraço e obrigado pela visita!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas