Ironman Brasil 2015 - Relato de Prova

Bom, depois de alguns dias para a poeira baixar chegou a hora do relato do Ironman Brasil 2015. Tentarei não ser muito demorado para que não fique muito cansativo mas admito que não sei se vou conseguir. :-)

Confesso que o sentimento que eu gostaria de ter ao escrever esse post é um pouco diferente do que tenho agora. Vou começar meio que pelo fim e deixo toda a parte legal para logo em seguida.

Quem me acompanha nas redes sociais já sabe mas na segunda-feira à noite fiquei sabendo que fui oficialmente desclassificado da prova. Busquei informações com a Latin Sports (e-mail, telefone e redes sociais) e infelizmente não me deram qualquer retorno sobre o motivo. Acabei conseguindo graças a um amigo do IG que se ofereceu para entrar em contato com um amigo dele que trabalhou no evento para descobrir. A resposta: recebi uma punição por vácuo (?!?!?!) onde um árbitro deveria ter me mostrado um cartão amarelo. Vendo este cartão eu deveria ter parado num ponto de penalidade e ficado 5'. Não só não peguei vácuo de ninguém como absolutamente ninguém me advertiu em momento algum. Depois do episódio parecido no Challenge tomei MUITO cuidado nesse Ironman em relação ao ciclismo. Vi menos pelotões que em 2013 mas ainda assim vi vários e procurei ficar bem longe de todos e também de grupos menores (dois ou três atletas) que pedalavam revezando a roda. Fiquei bem contente que consegui me manter afastado de todo mundo e fazendo a MINHA prova como sempre faço. Infelizmente tudo isso aconteceu e novamente jamais vou saber se foi uma falha de interpretação de alguém e uma falha maior ainda do árbitro ou se alguém anotou um número errado e sobrou para mim. Esse foi o desdobramento e fica aquele sentimento de que algo ficou incompleto na prova, entretanto mais do que esse sentimento fica um muito mais dolorido. O da injustiça e esse realmente machuca. Mas, enfim, oficialmente foi dessa forma mas da MINHA prova quem sabe sou eu e então vamos a ela. 

Cheguei em Florianópolis na quinta-feira bem cedo e consegui participar do treino oficial de natação. Foi interessante entrar no mar naquele dia e nadar longe da piscina depois de vários dias. Ainda na quinta fiz junto com a equipe Webtreino um treino de corrida bem leve e solto pelas ruas de Jurerê. 

Começando a sonhar
Já na sexta veio a primeira surpresa do final de semana. Meu grande amigo Kelvin que também faria a prova e estava hospedado na casa junto comigo passou mal e fui com ele ao hospital onde ficamos a manhã toda para ele tomar soro e se medicar. Um susto que só nos recuperamos no sábado quando ele acordou bem e pronto para competir. Mas voltando à sexta, acabei fazendo o teste da bike sozinho já na parte da tarde. Tudo certo com a magrela e então era hora de começar a arrumar as tralhas, coisa que concluímos no sábado de manhã para levar a bike no sábado à tarde no checkin.

A máquina pronta para o serviço... 
Domingo acordei pouco antes das 4hs e parti para os procedimentos padrão. Banheiro, café da manhã, conferência de roupas e equipamentos, etc. Logo em seguida fomos até a área de transição arrumar as bikes e então voltamos para casa para nos arrumarmos e saírmos para a praia. 

Na natação me posicionei bem na frente ao lado do meu treinador Fábio Bronze. Aquilo me deu uma certa tranquilidade pré largada. Tocou a sirene e eu saí desesperado para o mar. Apanhei, como sempre, mas foi menos que das outras vezes. Poderia jurar que com as excelentes bóias de orientação eu nadaria reto. Não foi dessa vez e novamente nadei num ritmo muito bom mas MUITO mais distância do que realmente precisava. Quase 4500m em 1h03'. Se tivesse nadado nesse ritmo os 3800m com certeza teria feito abaixo de 1h, algo que cheguei a sonhar. Ainda assim foi uma natação boa em termos de tempo mas que preciso dar um jeito nisso, preciso. 

Ao contrário de Brasília onde senti um pouco de indisposição na transição essa vez saí bem do mar e, por uma coincidência do destino quem tirou minha roupa de borracha na T1 foi uma amiga que estava trabalhando no evento, a Tati que ainda me desejou boa prova. Já na corrida pelo P12 a caminho da tenda de troca avistei pela primeira vez minha esposa na torcida e isso realmente me elevou demais a motivação. 

Concluindo a natação
Feitas as trocas na tenda foi hora de sair para o pedal. Tentei não me empolgar demais no início que é sempre fácil. Também cuidei bastante, como já falei, para me manter sempre sozinho e longe de grupos e assim evitar qualquer mal entendido ainda mais em Floripa onde pedalamos em vias estreitas. Fiz meu pedal cuidando bastante também da alimentação e hidratação. Nesse ponto acho que pequei um pouco em Brasília e não queria repetir no Ironman. Cuidei muito pela sensação de esforço e tudo foi ficando mais ou menos onde eu havia previsto, algo entre 33kph e 34kph. O maior dos problemas que me ocorreu no ciclismo foi que logo no início (assim que cheguei na SC401) perdi o suporte macio que temos para o cotovelo no clipe da bike. Simplesmente saiu voando num momento que me levantei para tomar água. Não pensei em parar para pegar e resolvi que seria daquele jeito. Ficar com o cotovelo no "ferro" por 170Km foi dolorido mas não tinha outra alternativa. Na primeira volta praticamente nada de vento e na segunda, após aquela passagem animadora por toda torcida em Jurerê já havia um pouco de vento mas nada muito assustador. Curti muito meu pedal e acertei cada comida e bebida do trajeto. Cheguei com o cansaço normal de 180Km mas pronto para a maratona, sem antes deixar de comer meu Snickers no finalzinho do pedal. Ao final, 5h21' com uma média de 33,5kph, bem dentro do imaginado. 

Hora do pedal
Passagem na tenda para a T2 e foi hora de sair para correr a maratona. Passar na Av. dos Búzios é incrível. Logo que saí já vi minha esposa novamente e em seguida passei na casa alugada pela Webtreino onde havia uma grande e animada torcida que ajudou muito. Alguns metros depois a minha casa com mais uma torcida enorme da minha família e amigos, algo indescritível. E no meio de tudo isso muitas outras pessoas gritando meu nome. Algo que talvez eu nunca consiga agradecer a contento. Saí então rumo à Canasvieiras e a corrida fluía fácil fácil. Assim foi até os 21Km como é bastante comum. Alimentação e hidratação sempre perfeitas e o corpo se sentindo bem. Gostei mais da forma como está o trajeto hoje do que como fiz em 2013. Do 21Km até o 26Km o ritmo caiu um pouco mas dentro do normal e a partir daí o corpo começa a sentir mais o cansaço. Ainda assim levei bem até o ponto onde realmente as coisas complicam bastante, a última volta de 10Km. Dali em diante o sofrimento é grande e no meu caso tudo complicou mesmo nos últimos 3Km onde eu só queria chegar. Não foi uma quebra e sim um cansaço normal para o nível de esforço que fiz a prova e pela distância já percorrida. Quando cheguei na Av. Búzios e já sabia que não teria um tempo sub 10hs eu só queria curtir essa passagem. Não procurei acelerar, até porque não sei se teria forças. Curti cada passagem, cada grito do meu nome, cada momento. Ouvi a última vez minha esposa já na arquibancada próximo ao pórtico de chegada. Uma maratona de Ironman feita em 3h31', o que gostei bastante mas que dá para melhorar.

Ainda bem na maratona
Passei o pórtico com 10h05' uma prova que para mim considerei ótima. Tinha me colocado como prova perfeita um sub10 e como uma prova ótima algo entre 10h e 10h20'. O que considero que pode melhorar para chegar no sub10? Algumas coisas, dentre elas uma natação com melhor orientação, pois se tivesse feito esse ritmo que fiz em 3800m seria abaixo de uma hora, uma transição T1 mais rápida e talvez conseguir manter a maratona um pouco mais constante, caindo menos o ritmo no final. Isso aliado a uma evolução normal em cada modalidade com certeza me trarão o sub10 em breve. 

Tentando ficar em pé...  
Por fim queria muito agradecer todo mundo que torceu, presencialmente ou não. Foram MUITOS gritos de "Milton", muitas mensagens recebidas (e que não pude responder) nas redes sociais, WhatsApp, etc. Isso realmente foi muito importante para mim e só me deu mais vontade de competir. Agradecer também todos os profissionais que me ajudaram a chegar onde cheguei. Fisioterapeuta, nutricionista, médico, instrutora de pilates, personal trainer, claro, do meu treinador Fábio Bronze que nomeio para representar todos eles. Também agradecer tantas pessoas legais que encontrei em Jurerê, algumas que já conhecia e outras que conheci pessoalmente por lá! 

Agradecer muito também meus amigos e parceiros de treino que fizeram tudo ser mais divertido ao longo de todo período mais difícil.

Por fim agradecer às famílias minha e da minha esposa que torceram muito e me deram uma grande estrutura para treinar e competir e, CLARO, minha esposa que essa sim segurou muito a barra e me deu um suporte incrível durante os longos meses de treinamento. Durante a prova a torcida dela foi incansável. Parece que para onde eu olhava ela estava. Acho até que ela percorreu mais quilômetros que eu no domingo passado. 

Esse foi meu Ironman, um domingo onde a síntese de vários meses acontece e onde a sensação de realização é proporcional a todo esse tempo. 

Apesar de todos os fatores "extra campo" foi um domingo inesquecível mais uma vez e onde competi com um sorriso no rosto o tempo todo, mesmo nos momentos mais doloridos. 

Medalha já na coleção das mais importantes. A Latin Sports pode não me dar o certificado mas essa medalha nem com o BOPE ela me tira
Abaixo algumas informações da prova no meu Garmin.



Comentários

  1. Parabéns, Milton!!! Tu és ninja e tenho certeza que jogaste limpo!!! Isso é o que importa!!! Tu fizeste o teu!! Arrasou! Um dia te encontro numa prova dessas. Deysi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Deysi, muito obrigado! Bem isso, sei da MINHA prova. O resto é resto. E vou cobrar hein, quero te ver num Iron comigo! Abração!

      Excluir
  2. Mílton, suas postagens são sempre emocionantes! Como já conversamos vc fez uma excelente prova, sua consciência esta tranquila e vc arrasou! A chateação pela desclassificação, essa vai passar, mas o mérito será sempre seu!!!!Parabéns e continue nos inspirando!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, só posso te agradecer as palavras e a grande e sincera amizade que fizemos, do IG para a vida real. Tu é um exemplo de dedicação ao esporte para mim e tenha certeza que a recíproca é verdadeira! Bus

      Excluir
  3. Milton,
    primeiro preciso dizer o quão impressionada que fiquei com o seu tempo, 10h5?! UAU! Conheço alguns triatletas que foram a Floripa participar deste Iron, mas você foi o mais top de todos! Parabéns, amigão! Tenho muita admiração pela tua disciplina e força de vontade! O sub10 vai vir já já!
    Beijo,
    Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Dani, muito obrigado. Consegui fazer um tempo bem dentro do que eu desejava. Não saiu o sonhado sub10 mas foi quase. No próximo sai tenho certeza. Foi uma prova bem redonda. Nada de dores, problemas, alimentação bem certinha, etc. Obrigado pela força de sempre. Bjs.

      Excluir
  4. Cara, TU ÉS CRAQUE !!!!! Um super parabéns pra ti, guerreiro. Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Ivana, muito obrigado e muito obrigado por estar sempre aqui prestigiando esse humilde blog e atleta. Bjs.

      Excluir
  5. Olha que engraçando, chegando no final do texto tão emocionante e feliz até esqueci a primeira parte onde vc conta sobre o seu resultado no site. Acho que assim que vc tem que se sentir. É frustrante? É! É injusto? É! Mas aconteceu, e de injustiças a gente já tá meio calejado, né? Tenta não pensar nisso, seu garmin registrou tudo, as fotos mostram seu tempo final e a medalha é sua...fora tudo isso, só vc sabe o que passou nessas 10hrs e isso não tem registro em site que pague.
    Não me canso de te falar o quanto tenho orgulho de vc, que em meio à trabalho, familia, esposa e coelho, ainda arruma tempo pra correr, pedalar, nadar, malhar, fazer fisioterapia e ainda ser rico (brincadeira kkk). Você é foda! E ninguém tem duvidas que no próximo sairá um sub10hrs de boa. Me espelho muito na sua determinação e foco. (e às vezes me sinto até envergonhada em não conseguir acordar na sábado pra correr míseros kms). Parabéns pela prova!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna. Sinceramente não sei nem como te agradecer as palavras e te digo o seguinte. Eu é que tenho orgulho de ter uma amiga como tu. Agradeço imensamente!
      A ideia de começar pelo pior era justamente essa. Terminar a leitura bem. Acho que consegui. :-)
      Muito obrigado mesmo e vamos ver se no final do ano a gente se encontra em Floripa!
      Bjs

      Excluir
  6. Parabéns Milton. Sabia que vc ia bem, pois vc é exemplo de determinação. Nem me lembro quanto tempo apostei com vc mas acho que vc ganhou rs.
    Não se preocupe com o resto, vc tem a medalha e o tempo do garmin, isso que importa. Muitos ali conseguem fazer tempos baixos por causa do vácuo e sei que vc não é desses, vc ganha pela raça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que tu apostou bem por aí, umas 10hs. Na primeira aposta era mais alto mas depois tu baixou. Kkkk. Valeu meu amigo. Foi bom te ver lá mesmo que rapidamente. Logo logo nos encontramos de novo!
      Quanto à minha prova, eu sei o que eu fiz e o quanto eu sofri para chegar lá. O certificado deles pouco me interessa.
      Abração!

      Excluir
  7. nunca tinha lido um relato de quem fez Iron ...caracas que emocionante, lamento pelo acontecido, se vc não entendeu imagina eu kkkkk ... desculpa demorar a passar por aqui ... continue firme por que essa sensação de prova completada ninguém tira de você .... beijos ...

    http://correcamila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, obrigado Camila! Quanto ao acontecido, não vou negar que fiquei bem triste nos primeiros dias mas já está passando.
      Vou acompanhar teu blog também!
      Bjs

      Excluir
  8. Grande Milton!
    Espetáculo de prova! No primeiro Iron Floripa tu falavas em sub11... nesse é sub10... não há limite pra um cara com a tua determinação... aliás, tem! Kona! kkk
    Parabéns Grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu meu amigo sempre presente Ricardo! Kona é pedir demais para mim mas que quero continuar evoluindo isso eu quero!
      Abração e obrigado!

      Excluir
  9. Cara, evolução fantástica a tua ! Show de bola. Literalmente, bola pra frente, a prova é tua e ninguém tasca. Vamo pra próxima. Ainda vou definir foz, se for te aviso.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Pina, obrigado meu amigo! Muito feliz em te ver batendo teu tempo lá! Fez um provão! Parabéns!
      Avisa se for a Foz que nos falamos lá!
      Abração!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas