Challenge Florianópolis 2015 - Relato de Prova

Quem é vivo sempre aparece. Primeiramente peço desculpas pela falta de atividade do blog. Andei numa fase de pouco tempo livre e também estava sem criatividade para escrever. Achei melhor passar por esse período #off aqui para não escrever coisas sem valor. Agora o blog entrou em uma daquelas metas para o ano que chega. Voltar a ser ativo em 2016! 

Dito isto, vamos ao que interessa: fazer um post sobre o Challenge Florianópolis ocorrido no dia 29 de novembro passado (sim, eu sei que faz tempo!). Aqui no blog não escrevi sobre isso (porque simplesmente não escrevi) mas quem me acompanha pelo IG sabe que passei por uma lesão chata um tempo antes da prova. Várias sessões de fisioterapia e vários longos de corrida perdidos, mas mesmo assim, com muita ajuda de pessoas especiais e de excelentes profissionais consegui chegar em condições na prova. 

Um outro fator importante para, que também divulguei pelas redes sociais, foi uma "disputa" que fiz com meu amigo Edson (sim, aquele mesmo de Foz do Iguaçu). A ideia de fazer uma "aposta social" para ajudar uma instituição de caridade surgiu entre nós e logo foi apoiada pela organização do Challenge e também pelas empresas Hammerhead, Agência do Atleta e 3T Sports. Quem perdesse na prova ajudaria, junto com essas empresas, para que pequenos atletas da instituição Casa dos Amarelinhos de Maceió tivessem novos materiais de treino como roupa, touca, óculos e caramanholas.




Vamos ao relato propriamente dito.

Pré prova

Pela primeira vez em provas longas não tive uma noite de sono boa, o que fez eu acordar 2:50hs. Por volta de 5hs já estava chegando na área de transição para verificar bike e equipamentos. Logo cedo já se percebia que o vento sul estaria forte, mas pelo menos o sul deixa o mar calmo e não mexido como o nordeste do dia anterior deixou durante o treino oficial de natação. 

Natação

Admito que faz tempo que tento fazer algo perto dos 30 minutos em uma natação de 1900m. Essa vez me posicionei lá na frente e na lateral. Era o primeiro, pelo menos naquele momento. :-). Inclusive olhei para trás e Edson estava com a barba quase no meu cangote e não ia me avisar! :-). Talvez essa tenha sido minha melhor largada em provas até hoje. Assim que disparou o sinal saí bem na frente e na lateral sem bater em ninguém. Claro que logo vários me passaram mas tudo sem pancadaria. Achei que naveguei bem e me senti bem durante o trajeto (1900m marcados no Garmin finalmente). Admito que achei que seria minha melhor natação. Não senti o cansaço forte no meio do caminho como em Foz. Fiz num ritmo que achei bom e usei MUITO bem os pontos de referência que vi no treino oficial do dia anterior. Depois da última bóia a caminho da praia comecei a pegar tráfego da turma que largou antes (largada foi em baterias). Mais uma vez achei que estava indo bem mas quando saí da água...  34 minutos, bem acima do que eu tinha pensado. De qualquer maneira, vi depois que bastante gente falou que o mar estava com muita corrente, o que fez os tempos ficarem um pouco mais altos. Ainda assim essa natação vai ter que sair em 30 minutos um dia.



Ciclismo

Logo que cheguei na transição para iniciar o ciclismo encontrei o Edson saindo. Tentei falar para ele me esperar mas, não sei a razão, ele não me deu ouvidos. :-)
Tratei de me agilizar para começar a pedalar. Sabia que com minha lesão, que me impediu de fazer vários treinos de corrida, eu tinha dedicado uma boa dose de atenção ao ciclismo nos treinos. Ali era hora de eu "encaixar" minha prova, além de alcançar o Edson. :-). Gostei muito da mudança que o Challenge fez em relação a um detalhe do trajeto. Tanto no Challenge do ano passado quanto no Ironman, logo que saímos de Jurerê pegamos a SC401 no sentido do Centro e não de Canasvieiras. Essa vez logo que saímos de Jurerê fomos em direção à praia de Canasvieiras e só depois no sentido Centro. O que gostei dessa forma de percorrer o trajeto é que psicologicamente me senti melhor sabendo que na volta a Jurerê já entraria direto em à área de transição, não tendo que passar na frente, ir a Canasvieiras e só depois voltar a Jurerê. Algo bastante pessoal mas que gostei. Logo que virei em direção a Canasvieiras notei o vento a favor, o que foi constante durante a prova. Já no sentido Canasvieiras - Centro o vento contra nos fazia forçar muito as pernas e a mente. Assim foi durante as duas voltas de 45Km do trajeto. Consegui fazer um ciclismo bem consistente e constante. Havia deixado meu Garmin programado para um trecho a cada 20Km e fui praticamente um relógio com diferença máxima de um minuto entre cada um. Na segunda volta do percurso o vento aumentou, no trecho contra forcei sem ultrapassar o limite e na volta tratei de tirar todo atraso, fazendo uma média muito boa. Fechei o ciclismo com um tempo bom e o sentimento de ter feito meu melhor ciclismo em qualquer prova até hoje. Não em termos de média absoluta, pois o vento baixou um pouco, mas no sentido de força e consistência. 

Algo muito legal é que já no ciclismo (metade e final) a gente começa a sentir a vibração de Jurerê e da torcida especial que lá fica. De minha parte muitos amigos, treinador, família, esposa, conhecidos, etc. MUITA gente gritava meu nome quando passava por ali e isso realmente é algo que ajuda demais! Outro fato curioso foi o fato de algumas pessoas terem falado comigo durante o ciclismo e sobre a torcida no desafio social que eu e o Edson fazíamos. Gratificante. 


Corrida

Cheguei do ciclismo cansado mas com bastante perna para iniciar a corrida. Essa era a ideia, pois não queria chegar para correr completamente acabado. Logo que saí notei que meu ritmo estava bom e mesmo sabendo que não conseguiria manter até o final daquela forma, era um ritmo bom para manter por boa parte do tempo. A corrida consiste em três voltas de 7Km e, se por um lado isso é ruim por ter que repetir tantas vezes o trajeto, por outro é excelente passar o tempo todo naquele bairro cheio de torcedores! Não estava conseguindo encontrar o Edson na corrida e perdi a referência de onde ele estava. Ao perguntar para alguém me falaram 13 minutos e entendi 3 minutos. Naquele momento pensei:  "lascou", pois ele realmente corre MUITO bem (por isso o nome @correfacil no IG) e não teria como competir com ele na corrida. Minha esperança era ter aberto uma boa margem no ciclismo. Tratei de correr o mais forte que podia e assim foi até o 16Km de forma bem constante. Dali em diante já não consegui manter o mesmo ritmo mas mantive próximo, entretanto faltando 3Km realmente as coisas pesaram um pouco. O ritmo caiu um pouco mais talvez por falta de alguns longos que deixei de fazer antes da prova. Mesmo assim passei pelo meu treinador exatamente nessa parte e ele me disse: "não importa se está difícil, termina forte". Aquilo me deu muita vontade de não desistir de tentar e f o máximo forcei que pude até o final. Concluí a meia maratona com um dos meus melhores tempos, o que me deixou muito feliz, ainda mais depois que pensei em talvez nem conseguir fazer a prova. 


Pós prova

Logo que cheguei foi a hora de encontrar minha esposa, família e amigos. Comi alguma coisa e também pude tirar foto e agradecer ao Edson por uma excelente e saudável disputa. Ele fez as cinco provas do circuito Ironman desse ano e além do mais estava com bastante dor (lesão) na lombar. Mesmo assim fez questão de fazer a prova e participar do "Challenge Social". Um exemplo de atleta e um grande amigo.

Foi realmente uma prova especial, num lugar que gosto muito, na presença de pessoas muito especiais como sempre! 


Agradeço imensamente cada mensagem e cada palavra, seja qual for a forma que chegaram até mim. Foi um final de semana especial fazendo mais uma vez aquilo que tanto gosto! 

E que venha 2016! 

Comentários

  1. Até que enfim hein ?? HAHAHHA Fiz o do sprint ontem também kkkk
    parabéns pela prova cara, sensacional ! Se tu corre assim sem corre, sai de perto de mim hahahaha

    Abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkk... meta para 2016, renovar e manter o blog. Kkkk
      Tá sem moral para falar de mim então. Kkkk. Vou lá ler o do sprint teu.
      Cara... quanto à corrida, nem vem que tu é um animal. Kkk
      Abraço, valeu parceiro! Ano que vem estamos juntos no Iron, mudança de rumos e lá estarei eu!

      Excluir
    2. Floripa ????? Como assim ? Bora lá !!!!!!!

      Excluir
    3. No caminho eu te explico kkkkk

      Excluir
  2. Milton, parabéns pela prova.
    Voltar de lesão em alto nível para o challenge é para poucos. Essa disputa social só fez brilhar ainda mais o evento. Parabéns aos dois!
    abraços e boas festas. Que 2016 seja ainda mais especial.
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valei Helena, muito obrigado pelas tuas palavras sempre muito legais! Obrigado mesmo! Espero te ver qualquer hora em Floripa, quem sabe no Iron!
      Boas festas aí também!
      Bjs

      Excluir
  3. Amigo, nem uma lesão te tira o mérito do projeto e principalmente de ir cada prova melhor que a anterior. Parabéns por mais essa.
    Abraço e parabéns "duplo".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu meu amigo, muito obrigado pelas palavras sempre! Vamos para a próxima. Iron.
      ABraço!

      Excluir
  4. Só agora consegui comentar! Parabéns duplamente, pela performance na competição e pela linda iniciativa de fazer a aposta social para ajudar as crianças de Maceió!
    Beijo,
    Dani.
    http://danicorredora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Dani, muito obrigado! E eu só agora consegui responder kkkk.
      Beijo e super ano novo para ti!

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas