Ironman Florianópolis 2016 - Relato da Prova

Bom, uma semana depois vamos ao relato. Demorei porque a volta à rotina não é muito simples, várias coisas para arrumar e organizar e quando a gente vê a semana terminou.

Vou tentar focar mais nas informações da prova até para que não fique um post muito grande e cansativo para leitura. Vamos lá.

Bike checkin

Consegui me livrar da bike com uma certa rapidez por conta das filas separadas do AWA (All World Athlete). Soube de gente que ficou uma hora na fila para tatuar o número no braço, algo que não acho admissível pensando que é um sábado pré prova para os atletas. Mas enfim, consegui "furar" legalmente a fila e fiz meu checkin bem rapidamente. Deixei a bike numa posição boa, pois meu número era o 900 então era o primeiro slot de um corredor (um lado todo livre).

Manhã da prova

Como de hábito, dormi bem na véspera da prova. Não costumo ficar ansioso nessa hora. Durmo direto e bem. Acordei por volta de 4:20hs um pouco antes do despertador, inclusive porque em geral meu horário normal de despertar em Curitiba é 4:40hs, portanto estou acostumado. Fiz o tradicional, necessidades fisiológicas, banho, indumentária, etc. Pessoal começou a concentrar já em casa enquanto tomei meu café da manhã. Separei a mochila e fomos para área de transição para colocar as coisas na bike e conferir as sacolas. Depois disso voltamos para casa para colocar roupa de borracha e partir para área da largada. A partir daí então vem uma ansiedade normal. Aquela vontade de largar logo.   

Natação

Infelizmente nesse meu terceiro Ironman o tempo não colaborou como nos outros dois. Em 2013 estava um dia lindo. Em 2015 teve um pouco de sol e boa parte nublado mas sem chuva. Já em 2016 a previsão era de chuva e realmente se confirmou. Choveu a noite toda e depois ao longo da prova por várias vezes, inclusive com chuva bem forte em alguns momentos. Esse foi o primeiro ano de largada em ondas (por categoria) no Ironman Florianópolis. Minha largada era a segunda amadora - 7:10hs - então não precisei esperar tanto tempo. Alinhei com a faixa no peito lá na frente e quando a sirene tocou saí desesperado para o mar. Sempre tive um pouco de problemas de navegação mas vinha melhorando nesse aspecto. Nesse ano minha navegação não foi das melhores de novo, pois o clima também jogou contra. MUITO fechado, com chuva, etc. Procurei seguir as boias intermediárias de navegação e acho que até a primeira boia de vértice vinha bem. Senti que depois do primeiro retorno eu não rendia ou navegava como antes mas procurei me manter focado em fazer uma boa natação, que eu esperava ser por volta de 1hr. Ao chegar na praia para o retorno, olhei no Garmin e veio uma primeira decepção: 37'. Já senti que minha previsão de uma hora de natação tinha ido para o espaço. Procurei esquecer isso naquele momento e fui para a segunda perna fazendo o melhor que podia. Ao chegar na areia olhei meu tempo e: 1h07'. Bem aquém do que eu tinha previsto e sabia que podia nadar. Tudo bem, prova longa não podemos ficar lamentando pequenas alternâncias no meio do caminho. Pensei comigo em fazer um bom ciclismo e uma boa corrida para recuperar esse tempo "perdido". Fiz uma transição boa para o ciclismo, mesmo essa sendo um pouco mais demorada, pois o caminho do mar até a tenda de troca é meio longo. 

Saindo da água. Um ponto decepcionado mas sempre fazendo força... 
Ciclismo

Ao sair da tenda veio ao menos uma cena cômica no dia. Como esse ano resolvi fazer a prova com uma sapatilha de ciclismo, tive que calçar a sapatilha na tenda mesmo e não na bike. A sapatilha de triathlon (fiz ano passado) é bastante fácil de calçar já na bike mas a minha Mavic de ciclismo é bem mais complexa, por outro lado ela é extremamente confortável e não fica presa ao pé só por velcro como a de triathlon, mantendo-a firme até o final do ciclismo, o que acaba compensando esses segundos a mais na transição. Por estar de sapatilha e com o piso "plástico" escorregadio que temos entre a tenda e as bikes acabou que não consegui nem ouvir o final da frase da staff "cuidado que está escorreg..." e lá fui eu de bunda para o chão. Sem nem dar tempo de pensar e recebendo o lindo apoio (junto de alguns sorrisos) de vários torcedores na T1, levantei e corri para bike. Comecei a pedalar já forte para me livrar do congestionamento que se forma na saída da transição. Estávamos já com chuva e procurei cuidar com os buracos encobertos com água na estrada para não furar pneu, o que ocorreu aos montes na prova, pois as condições da estrada não andam nada boas. Primeira volta do ciclismo como sempre é relativamente fácil em Floripa. Estamos empolgados, tudo é festa, etc. então procurei também não descuidar com o ritmo para não pagar o preço depois. Como não tenho medidor de potência tenho que ir pela sensação. Procurei fazer o ritmo conforme havia treinado e vi que estava indo tudo certo. Na primeira volta não peguei uma gota de vento sequer, estava gostoso de pedalar apesar da chuva. Ao passar em Jurerê após 90Km vem aquele apoio incrível da minha torcida e de todas as pessoas que ficam no bairro, mesmo com o clima horrível que estava. Comecei a segunda volta e a chuva havia parado. Por um lado era bom, pois a água na cara incomoda um pouco e sempre temos que ter mais cuidado, porém o vento veio mais forte e notei que a bandeira do Brasil que existe em um shopping center no caminho da bike estava eufórica (na primeira volta repousava junto ao poste). Ao voltar do túnel da via expressa sul o vento veio contra até Canasvieiras o que castigou bastante as pernas. Procurei me alimentar dentro do previsto, apesar de algumas alternâncias para um plano B, pois senti mais fome no início do ciclismo e tentei não forçar demais. A média caiu um pouco mas ficou praticamente dentro do que havia previsto com meu treinador. Chegando a hora de começar a parte mais difícil da prova, a maratona.  

Pedal feito praticamente dentro do previsto...  
Corrida

O que outras vezes não costumava ser bom essa vez foi. Fiz uma T2 muito rápida e logo saí para correr. Ao sair para correr encontrei o parceiro de Webtreino Andrey. Fizemos muitos treinos juntos e no ciclismo nos encontramos várias vezes o que foi muito legal. Começamos a correr e logo vi que o ritmo estava forte, pois na Av. Búzios é difícil se controlar com muita torcida especial. Logo baixei um pouco o ritmo, pois como estávamos não aguentaria nem metade da corrida. Consegui render dentro do esperado até os 18Km quando então senti um pouco de desconforto gástrico e não consegui mais tomar gel que eu tinha. Simplesmente não descia. Senti também um pouco de cansaço nas pernas e vi que as coisas não seriam das mais fáceis. Ainda consegui terminar a primeira volta (longa de 21Km) dentro do que havia previsto de ritmo. Contei no caminho com a ajuda do meu treinador Fábio Bronze e da minha parceira de Time do Bem (Dentro D'Água) Ju Ramos que conseguiram acompanhar algumas partes de bike dando uma força. O jeito foi reduzir um pouco o ritmo na segunda volta para me manter na prova. Por sorte, ao terminar iniciar essa volta passei na Av. Búzios e pude novamente contar com a torcida especial da minha esposa, família e amigos, o que dá um gás enorme. Comecei aí então uma grande luta com minha cabeça, pois tinha vontade de parar um pouco para descansar. Sabia que isso seria suicídio, pois uma parada iria gerar a vontade de parar mais vezes. O que procurei fazer foi partir então para o plano C de alimentação. Caminhar nos postos e comer comida sólida que eu tinha vontade de comer (bolacha e bolo junto com Pepsi). Isso ajudou e consegui me manter correndo, mais devagar um pouco mas correndo. Assim foi a segunda volta toda até que abri a terceira e então fui só tomando água, pois nada mais entrava. A sensação de esforço era bem mais alta mesmo correndo devagar mas era o melhor que eu podia fazer naquele momento. Procurei dar meu melhor, sabia que o sub10 já não sairia nesse ano mas tentei ao máximo correr no meu limite do momento e assim fui até a linha de chegada. No final da prova ainda consegui aumentar o ritmo para terminar de uma forma mais digna. Não foi a prova que planejei mas isso é algo normal em provas longas, nem sempre sai tudo conforme o esperado. O mais importante é que fiz meu melhor e que recebi o apoio de muita gente e procurei não decepcionar a mim mesmo e a cada um que me apoiou. Final de tudo com 10h10'20". 

Um dos raros momentos em que realmente CORRI, na saída da maratona... 
O resumo do dia foi mais uma vez uma prova especial, que por mais que não tenha saído no tempo previsto, curti demais fazer. Essa é realmente uma prova especial e poder correr em Jurerê é bom demais.

Queria agradecer todo mundo nominalmente mas sei que seria impossível então agradeço algumas pessoas que representam todo mundo. Em especial, claro minha esposa que mesmo no final da gravidez e com o tempo ruim que estava conseguiu torcer e me apoiar em vários trechos. Minha família e meus amigos que lá estavam sempre gritando meu nome, além daqueles que mandaram mensagem antes e depois da prova. Claro, meu treinador que sempre me apoiou junto com meus colegas de time (que fizeram ou não a prova) e por fim, as empresas que me apoiaram nessa caminhada, Dentro D'água, Corra com Postura e Atacadão do Suplemento. 

Aqui tem a prova na atividade do Garmin Connect.

Agora é fazer um treinamento de manutenção porque logo logo chega o Bernardo. Próxima parada só em Jurerê de novo no Challenge Floripa em dezembro. 

Valeu pessoal...  lembremos sempre de fazer nosso melhor!!

10hs10' depois...   

Comentários

  1. Cara eu sou teu fã. Queria ter te encontrado lá mas na correria que eu também estava não lembrei de te procurar por lá.

    Esse ano foi um ano atípico. Eu fiquei decepcionado demais com a minha prova mas tudo que não aconteceu nos outros anos aconteceu neste, então vendo o relato de que todo mundo passou por dificuldades estou um pouco menos triste com meu resultado. De qualquer forma decidi que ano que vem vou dar uma pausa no Iron, a promessa era de que se eu não baixasse o tempo eu ia parar, a promessa terá de ser cumprida.

    Depois de tudo que tu passou recentemente tu fez o melhor que era possível e ainda assim detonou. É um guerreiro.

    Forte abraço e bom descanso.

    ResponderExcluir
  2. Baita prova Milton ! Tempo é relativo e todo iron é foda. Fazer o melhor com o que temos é o que importa.

    Bora em frente !

    Abs

    ResponderExcluir
  3. Adorei Muso, vc é f.. O importante nestas provas é não desistir pois por mais que a gente se prepare elas são imprevisíveis vc arrasou.

    ResponderExcluir
  4. Que massa! Parabéns Ironman! Você é top, Milton!
    Beijo,
    Dani.

    Blog Dani Corredora

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião, sua crítica, seu elogio, qualquer coisa... procuro responder sempre.

Postagens mais visitadas