Um pouco sobre potência no ciclismo

Comecei no triathlon em 2012 e depois que fiz meu primeiro Ironman em 2013 comecei a me interessar mais por alguns temas, digamos, "avançados" desse esporte. Um deles, sem dúvida, é o medidor de potência utilizado no ciclismo. 

A potência, de uma forma simplista, é a força multiplicada pela velocidade de deslocamento de algum corpo. No caso do ciclismo, o "corpo" seria o conjunto ciclista + bicicleta. A força que eu aplico nos pedais multiplicada pela velocidade que desloco esse conjunto é a potência que gero. 

Quando começamos nesse esporte a tendência é que tenhamos como parâmetro a velocidade média somente. É o parâmetro mais fácil de conseguir com os aparelhos com GPS hoje em dia. Ao longo do tempo conseguimos inserir aí a frequência cardíaca e a cadência (quantidade de pedaladas por minuto). Já é um conjunto bom de informações mas não é o que mais importa no ciclismo. 

Pensemos na seguinte situação. Saio para fazer um treino bem cedo, pego por exemplo a BR 101 Norte entre Florianópolis e Itapema. O vendo ainda é muito fraco logo cedo então consigo fazer uma boa pedalada em termos de cadência e velocidade. Chego na metade do caminho com o vento começando a me incomodar no sentido contrário. Faço o retorno e o vento segue aumentando e agora está a meu favor. Termino o treino e fiz 38Km/h de média. Agora imaginemos que no outro final de semana saio no mesmo trajeto. Pego já de cara um vento cruzado meio lateral e levemente a favor. Ele não me ajuda muito e na volta ele vem lateral e um pouco contra. Aquele vento que nos faz ter que fazer muito mais força para sair do lugar. Termino o treino com 34Km/h de média. Alguém tem alguma dúvida de qual dos dois treinos eu terminei mais cansado?  

Pois é, quando lidamos basicamente com velocidade esquecemos um fator muito importante que está envolvido no ciclismo. A potência que geramos durante a pedalada. A potência é essa relação da força que eu faço e a relação da velocidade que me desloco. Posso fazer muito mais força me deslocando mais devagar e gerar mais potência do que em um treino que fui MUITO rápido mas peguei condições muito favoráveis. Para ficar ainda mais claro, pense na potência que eu gero descendo uma serra e subindo essa mesma serra. Mesmo indo muito mais rápido na descida, será praticamente impossível eu gerar a mesma potência do que quando estiver subindo. 



Existem vários tipos de medidores de potência para uma bicicleta. No cubo, no pedal, no pedivela, etc. Por meio dele podemos saber a potência que estamos gerando ao pedalar, independente de relevo, vento, vácuo, etc. 

O assunto é muito amplo e não vou nem tentar vencer todo em um post. Para o primeiro essas são as informações básicas que queria passar. Ao longo do tempo vamos conversando aqui sobre potência e todas as brincadeiras que podemos fazer com seus números. 

No próximo falarei um pouco sobre o medidor que estou usando na minha bike desde outubro e depois como são esses treinos baseados em potência. 

Por enquanto é isso! Ótimos Watts para vocês! ;-)

Comentários

Postagens mais visitadas